O capricho que Anésio Furlan tem com sua casa, que chama atenção no conjunto Oswaldo Cruz II, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), ultrapassa limites territoriais e transborda para outros espaços, beneficiando todo o bairro. Ele acredita que se todo mundo fizesse a sua parte, não seria preciso cobrar da administração pública todo o tempo serviços básicos para a comunidade.

Furlan, como é mais conhecido no bairro, é aposentado e tem dedicado o tempo livre a cuidar de sua casa e das imediações. O terreno ao lado de onde mora tem um parquinho infantil e pertence à prefeitura. Segundo ele, o lugar estava um matagal. “Liguei várias vezes para a prefeitura e sempre diziam que iam vir e nada. Então eu mesmo carpi e limpei”, conta.

Furlan também ajeita a frente da casa de vizinhos, a quadra de esportes em frente à sua casa e o terreno da Associação de Moradores, onde fez um belo jardim, com margaridas, rosas e outras flores, e uma horta, da qual são retirados legumes e verduras que se transformam em um sopão doado a famílias mais pobres. A horta é mantida com adubo orgânico, feito pelo próprio Furlan. “Separo sempre o lixo e faço o adubo, que é o melhor que tem para plantar”, explica.

Vândalos

Ciciro Back
Furlan é aposentado e dedica tempo livre pra cuidar de dua casa e das imediações. Veja mais no vídeo.

Mesmo com todo o zelo em sua casa, Furlan não escapou da ação de pichadores, que estragaram seu muro. Vândalos também quebraram vidraças do imóvel. Mas ele não se diz revoltado. “São pessoas que não pensam, que acham melhor fazer o mal do que fazer o bem. Um dia vão cair na real e ver que estão errados”.

As atitudes de Furlan são exemplo a ser seguido por aqueles que desejam ter um bairro melhor. Ele foi indicado pela Associação de Moradores Osvaldo Cruz II, na CIC – uma das parceiras da Tribuna no projeto Nosso Bairro, Nossa Casa.

Falta segurança na região

O conjunto Osvaldo Cruz II é formado por cerca de 800 casas. A principal reivindicação dos moradores é melhoria na segurança, pois o índice de assaltos na região é alto. Pichações também são problema frequente por ali. Basta percorrer algumas ruas para encontrar muros cheios de rabiscos.

A associação desenvolve uma série de projetos para a melhoria da qualidade de vida da comunidade, como alongamento para idosos; o centro de convivência e fortalecimento que atende cerca de 200 crianças e promove nove oficinas, como violino, informática e atividades esportivas; ponto de cultura, com atividades como violão, artesanato e informática. Além disso, todas as terças-feiras o pessoal da associação faz o sopão distribuído para 81 famílias. 

Ciciro Back
Margaridas, rosas e outras flores formam o jardim. Legumes e verduras viram sopão. Veja mais no vídeo.

Ensinamento

As crianças que frequentam a associação levam o aprendizado para casa. “A gente ensina para as crianças como reciclar o lixo, que tudo é reaproveitável”, conta a presidente da ,associação, Joana Alice Ferreira de Lima, mais conhecida como Nega. Os alunos levam para casa pequenas lixeiras coloridas para repassar o conhecimento aos pais.

Exemplo a ser seguido

Além da CIC, o Nosso Bairro, Nossa Casa escolheu outras duas regiões para encontrar bons exemplos a serem seguidos por quem quer transformar o lugar onde mora: o Sítio Cercado e o Água Verde. A cada três dias estaremos em um desses locais, alternando as regiões, para mostrar gente que está fazendo a diferença e incentivar os vizinhos a adotarem pequenas práticas que, se multiplicadas, são capazes de modificar a realidade da região e melhorar a qualidade de vida de seus moradores. A campanha está focada em ações relacionadas a combate à pichação, tratamento correto do lixo e cuidados com o imóvel – como pintura e jardim, por exemplo.

Veja mais no vídeo.