O balcão que separava os clientes da magia do lugar que dá vida nova aos brinquedos danificados pela ação do tempo ou dos próprios donos deixou de existir com a mudança de endereço da Cirandinha Brinquedos, que desde fevereiro está no Centro Cívico. No espaço escolhido, o casal Diana e João Budney, que conduz o negócio desde o final da década de 90, criou diversos ambientes onde as pessoas podem estar em contato e comprar brinquedos que marcaram época, além de mobílias e diferentes objetos antigos que compõem a decoração. Também é possível espiar o casal e seu ajudante, o sobrinho Ivan, trabalhando no conserto ou restauro de mais uma relíquia da infância de alguém.

Eles reconhecem que o encantamento toma conta de quem visita o lugar. “Enquanto os adultos se emocionam ao se deparar com brinquedos da sua infância, as crianças adoram saber onde vão ficar aqueles que serão consertados”, conta João. Ele e seu irmão, quando garotos, foram ajudantes do enfermeiro aposentado Vitorio Campestrini, fundador da oficina que surgiu em 1982, porque o criador percebeu que não só os seus netos, mas as outras crianças queriam que seus brinquedos fossem reparados.

“Quando o senhor Vitorio quis vender, meu irmão comprou e depois eu comprei dele”, recorda. Segundo João, a família toda sempre teve habilidade e gosto por “consertar”. Habilidade essa que Diana descobriu ter com o marido há oito anos, quando deixou o emprego no banco. “Consertar brinquedos é uma das atividades onde 90% do tempo é satisfação e isso é fundamental, porque é necessário estar bem para resgatá-los”, ensina. Enquanto o conserto da parte mecânica e eletrônica dos brinquedos fica com João, Diana responde pelo acabamento e por técnicas como reborn (transformação de bonecas em bebês quase reais). “Hoje conseguimos remover até tinta de caneta dos rostos de bonecas”, conta.

Gerson Klaina
Bonecas são as campeãs de vendas para o público feminino.

Além da mudança de endereço, neste ano o casal resolveu criar o blog cirandinhabrinquedos.blogspot.com. No primeiro dia no ar, eles registraram mais de 400 visitas. “É um novo canal para mostrar o nosso trabalho e prospectar negócios. Muitas vendas de brinquedos antigos estão sendo realizadas pela internet”, confirma Diana.

Nunca é tarde

Essa necessidade de resgate de brinquedos antigos em meio às milhares de novidades que cercam a infância atual é o que faz o casal apostar na longevidade do negócio. “Os brinquedos antigos tinham identidade, tanto que os adultos são quem mais procuram a loja. Eles chegam pedindo por um carrinho ou boneca específica, porque era o mesmo brinquedo por cinco anos”, explica. Bonecas como Tippy, Bate Palminha, Bochechinha, Chuquinhas e Ursinhos Carinhosos fazem parte do que a ala feminina mais procura na loja. Já bonecos e artigos da linha Comandos em Ação e carrinhos como o Maximus enchem os olhos de garotos de todas as idades. “Acabamos de receber um lote de bonecos e máquinas do Comandos em Ação”, informa João.

Gerson Klaina
Adultos buscam na loja algo que não tiveram quando crianças.

Não é raro encontrar adultos que na infância não tiveram um determinado brinquedo procurar,em a loja em busca da realização de um desejo. “Temos um cliente cuja esposa não tinha condições de ter bonecas na infância e que sonhava com uma Bochechinha. Ela ficou emocionada quando o marido a presenteou”, afirma Diana. Outra história que eles tiram do baú é de uma senhora que ganhou do filho uma boneca de pano e de tempos em tempos manda restaurar. “O filho faleceu e acho que ela não larga do presente”, acredita Diana. Segundo o casal, por serem uma referência na cidade, muitas pessoas chegam à loja para vender brinquedos. Quanto mais raro, procurado e conservado, melhor é o resultado da avaliação do produto. “Pagamos o justo. Já houve casos de pagarmos a mais para pessoas que não tinham noção do valor de um determinado objeto”, assegura.