A Cavo desistiu de parar suas atividades nesta terça-feira (20), conforme havia anunciado na sexta-feira (16) para o Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Curitiba (Siemaco), à Prefeitura e ao Ministério Público. A Prefeitura e a empresa devem se reunir hoje para discutir uma programação dos pagamentos das faturas atrasadas do município.

Enquanto a questão entre Cavo e Prefeitura caminham para uma solução, entre a empresa e os trabalhadores a questão é mais complexa. O Siemaco afirma que vem constatando uma série de irregularidades nas condições dos 2.500 trabalhadores da limpeza pública. Entre as principais queixas estão o não fornecimento dos uniformes de verão, a falta de protetor solar e de EPI´s adequados (equipamentos de proteção individual), o sucateamento de uniformes e sapatos e o desrespeito ao acordo coletivo que prevê que nenhum caminhão de lixo pode deixar o pátio da empresa sem o número mínimo de três coletores.

No próximo domingo (25), às 9h, será realizada uma assembleia com os trabalhadores da Cavo para formalizar a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2015 e os encaminhamentos do Sindicato para resolução dos problemas.

Com informações do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Curitiba (Siemaco).