A chuva preocupa os moradores e também os bombeiros do Litoral nos últimos dias. De sexta-feira (22) para sábado (23), os acumulados de chuva se intensificaram de forma expressiva e, em alguns pontos, chegaram a 252 mm de água – o que equivale a 76% do volume médio esperado para janeiro. Na sexta, inclusive, os Bombeiros tiveram vários registros de situações de alagamentos e até deslizamentos de terra, mas sem feridos.

Conforme os dados divulgados, as comunidades de Morro Inglês, Alexandra, Santa Cruz e Floresta, todas no município de Paranaguá, foram as mais afetadas pela chuva. De acordo com a Defesa Civil, no Morro Inglês o acumulado foi de 202 mm e no quilômetro 10 da BR-227 acumulou 252 mm. Já em Paranaguá foi 151,8 mm de água acumulada. Nas cidades de Guaraqueçaba e Floresta, foi 104 e 100 mm acumulados.

LEIA TAMBÉM Nebulosidade e umidade garantem sábado chuvoso em Curitiba e Litoral

O meteorologista Reinaldo Kneib, do Simepar, destacou que o acumulado foi expressivo. “E durante as próximas horas ainda são previstos mais eventos de precipitação nos municípios da região litorânea”, alertou.

Deslizamento em Matinhos preocupou, mas foi sem danos. Foto: Divulgação/BPMOA.

Deslizamentos de terra e alagamentos

A maior parte dos atendimentos dos Bombeiros e da Defesa Civil nesta sexta-feira foi em Paranaguá. Na cidade histórica do litoral, as equipes atenderam a pelo menos seis chamados por alagamentos e ajudaram nove pessoas atingidas e sete desalojadas, que foram encaminhadas à casa de parentes ou amigos.

Ainda em Paranaguá, uma pessoa ficou desabrigada e precisou ser encaminhada, pela Defesa Civil da cidade, a um abrigo. Além disso, um deslizamento de terra próximo à BR-277, no km 8, preocupou as equipes, mas sem grandes danos.

Já nas outras cidades do litoral, os atendimentos foram variados. Em Guaratuba, os bombeiros prestaram apoio a um deslizamento de terra próximo ao ferry boat. Por conta da terra no asfalto, o fluxo de veículos teve que parar.

Morro do ferry boat precisou ter o trânsito bloqueado. Foto: Corpo de Bombeiros.

Em Matinhos também houve deslizamento de terra, mas em região de mata no bairro Sertãozinho. Por lá, nenhum dano foi registrado. O Corpo de Bombeiros também precisou ajudar pessoas a saírem de suas casas por causa do alagamento. Em Pontal do Paraná, as equipes orientaram moradores e veranistas sobre as regiões alagadas ou inundadas, mas ninguém chegou a ficar desalojado.

Outro deslizamento de terra também foi registrado em Antonina, no bairro Tucunduva, onde foram poucos os danos à via pública. A cidade de Guaraqueçaba ficou ilhada por um tempo depois que houveram pontos de alagamentos na PR-405. Segundo os bombeiros, foram pelo menos três situações, que já foram resolvidas.

A PR-405 foi bem atingida, mas situação já foi normalizada. Foto: Divulgação/BPMOA.

Atenção no litoral continua!

As equipes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil continuam atentas às possíveis novas situações provocadas pela chuva, uma vez que o Simepar informou que o Litoral deve continuar sendo a região do Estado mais afetada. Neste sábado, porém, a situação é menos preocupante.

À Tribuna do Paraná, a tenente Ana Paula reforçou ainda que em Morretes, onde tivemos uma chuva que provocou desastres em 2011, a situação é tranquila. “Continuamos, junto com a Defesa Civil, fazendo monitoramento e avaliação dos pontos onde há possibilidade de deslizamentos, mas nenhuma região está, até o momento, nem perto de ser afetada como em 2011. Por enquanto, tudo está sob-controle”.

De todo modo, fica o alerta para que as pessoas continuem atentas aos sinais de inundação, alagamentos e até de deslizamentos. Se estiver numa área segura, mantenha-se abrigado e evite passar por áreas alagadas. Caso esteja em região próxima ou sujeita a deslizamentos, saia de casa e procure um local seguro. Se necessário, acione socorro especializado do Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193, ou da Defesa Civil, pelo telefone 199.