Valquir Aureliano / GPP
chuva220405.jpg

Árvores caíram em vários bairros assustando os moradores.

O desabamento de casa no Jardim Holandês, em Piraquara, fez quatro vítimas, que foram retiradas do local por moradores próximos, antes da chegada do Corpo de Bombeiros. O incidente foi provocado pela chuva de granizo e os fortes ventos que atingiram Curitiba e Região Metropolitana entre as 17h e 18h30 de ontem. Há informações, não confirmadas pela Polícia Militar, que uma criança teria morrido no desabamento de muro em Quatro Barras.

Com os fortes ventos, outras ocorrências foram registradas. Entre elas, o desabamento de um dos muros do Estádio Pinheirão, no Tarumã, durante o jogo entre Coritiba e o Treze, da Paraíba. O fato ocorreu em torno das 17h45, ferindo cinco torcedores e um policial militar. Seguido ao desabamento, houve interrupção do fornecimento de energia elétrica, que até as 20h30 ainda não havia sido restabelecido, dificultando o trânsito e a organização da saída dos torcedores do estádio. Ainda nas imediação do Pinheirão, uma árvore caiu sobre quatro carros, e outra desabou na Avenida Victor Ferreira do Amaral, em frente à Associação do Banco do Brasil (AABB), dificultando a passagem pela pista. Também houve quedas de árvores e destelhamentos no Prado Velho e Pinheirinho, além do bairro Palmital, em Pinhais.

O trânsito também ficou complicado. Segundo o Batalhão de Trânsito (BPTran), o número de acidentes aumentou consideravelmente durante a chuva, porém, até o momento do fechamento desta edição, ainda não era conhecido o número exato de ocorrências.

Energia elétrica

Até as 20h a Copel havia registrado 470 casos de queda de energia e acidentes que interromperam a transmissão. Os bairros mais afetados foram Guabirotuba, Vila Hauer e Cajuru, além de Pinhais, Piraquara e São José dos Pinhais. Conforme Péricles José Neri, gerente da área de operações leste da Copel, 117 mil clientes foram atingidos pela interrupção da energia, entre Ponta Grossa e o litoral, sendo 57 mil em Curitiba. Perto das 19h, 50 equipes de atendimento a emergências e mais 20 equipes de manutenção estavam nas ruas da cidade atendendo as ocorrências. Neri disse que em casos como esse, de forte chuva e ventos, há a previsão de demora em torno de oito a dez horas para o restabelecimento da energia.

Sem previsão de temporal

O meteorologista Marcelo Brauer, do Simepar, disse que as regiões mais afetadas pela chuva foram as áreas leste e sul da cidade. O temporal teve início perto das 16h, na Lapa, e chegou em Curitiba às 17h, durando cerca de uma hora. No Jardim das Américas, foram registrados granizo, ventos de 72 km/h e 24,6 mm de chuva em duas horas. Em Pinhais, onde também choveu granizo, os ventos chegaram a 60,1 km/h e a chuva atingiu 29,8 mm em uma hora, considerado de médio risco pelo meteorologista Brauer.

A chuva, que seguiu em direção à região norte do litoral, se dissipou, não havendo previsões de mais temporais na região leste do Paraná. Nos balneários a chuva foi moderada, não causando estragos.