Foto: Éverson Bressan/SECS

Barracas do IAP sinalizam condições da água nas praias.

As fortes chuvas que ocorreram no litoral paranaense nos últimos dias continuam a prejudicar a qualidade da água nas praias paranaenses. No quarto boletim de balneabilidade, divulgado ontem pela Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, apenas cinco dos 24 pontos monitorados pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) foram considerados próprios para banho. Nos demais pontos, o IAP desaconselha a entrada na água.

No boletim anterior, 10 pontos foram considerados próprios para banho – ou seja, o número de pontos onde está liberado o banho reduziu em 50% na última semana. Os pontos que apresentaram alteração neste período, tornando-se impróprios, foram: na Ilha do Mel, 50 metros à direita do Rio Pontinha; em Pontal do Sul, 100 metros à direita do Canal do DNOS e à direita do final da rua principal; em Gaivotas, próximo à Rua Osvaldo Gomes; e em Guaratuba, 100 metros à esquerda do Morro do Cristo.

Liberados

Na Ilha do Mel, os pontos liberados para banho estão localizados 30 metros à esquerda do rio, na praia do Farol, e no mar de fora da praia de Encantadas. Em Pontal do Paraná, está liberada a área em frente à avenida principal do balneário Olho d?Água e em frente à Associação Banestado, em Praia de Leste. Os banhistas podem entrar no mar sem se preocupar com a qualidade da água também na praia Mansa, em Caiobá, na altura da Rua Céu Azul. Desde o início das coletas, a praia Mansa tem se mantido própria para banho.

O presidente do IAP, Rasca Rodrigues, explicou que a chuva causa o transbordamento do esgoto acumulado em fossas e valetas no período de estiagem, contribuindo com a contaminação da água. ?O que estava dentro das fossas transborda, misturando esgoto com água de boa qualidade?, disse.

Barracas

Segundo ele, além dos cerca de 12 mil folhetos de boletim de balneabilidade distribuídos semanalmente para informar a qualidade da água, o IAP também montou barracas diferenciadas que sinalizam as condições da água nos pontos monitorados. ?Barracas azuis indicam que o ponto é próprio para banho e as vermelhas representam os locais impróprios?, explicou Rasca.

Em todas as barracas, equipes de plantão orientam moradores e veranistas sobre os riscos de tomar banho nos locais proibidos e como é feito o processo de análise da água. A balneabilidade aponta a emissão de esgoto sanitário e também presença de coliformes fecais nas águas da orla paranaense.

Os resultados das análises são divulgados todas as quartas-feiras durante 12 semanas. A Secretaria do Meio Ambiente e o IAP também divulgam os boletins em seus portais nos endereços eletrônicos www.pr.gov.br/meioambiente ou www.pr.gov.br/iap. 

Três balneários sem água em Guaratuba

Faltou água em Guaratuba, mas a Sanepar garante não se tratar do problema dos verões anteriores. Ontem, ao acordar, Nilsa Calderari encontrou as torneiras vazias. ?Estava faltando água desde cedo. Fui funcionar a máquina, a hora que eu acordei, por volta de 8h30, já não tinha?, conta a moradora do balneário Nereidas. Ela e outras 2.199 residências – também dos balneários Eliane e parte de Coroados – ficaram sem água por pelo menos nove horas.

De acordo com o gerente da regional da Sanepar no litoral, Denílson Belão, o problema de falta de água no município é ?coisa do passado?. ?Ao contrário dos outros anos, esse réveil-lon contou com abastecimento total?. Segundo ele, ontem uma máquina da Prefeitura, usada na limpeza do Rio Tenente, acabou rompendo uma tubulação de 200 milímetros, que fornece água para os três balenários. Por volta das 17h40, a situação foi reparada. Os técnicos fizeram a limpeza e o conserto da rede.