A população da área central de Piên, município localizado a cerca de 90 quilômetros de Curitiba, ficou surpresa na manhã de ontem ao se deparar com uma espécie de “chuva” de pó de madeira que cobriu casas e calçadas.

Uma falha no equipamento que retira a sujeira da empresa Tafisa Brasil S/A – que fabrica chapas de MDF, pisos, entre outros materiais – fez com que os resíduos de fibras de celulose fossem jogados para fora. O incidente ocorreu por volta das 4h.

Técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e da prefeitura estiveram no local. O município notificou a empresa pelo incidente. O secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Piên, Jair Zeferino, disse que essa foi a quarta vez que aconteceu um problema semelhante na Tafisa.

“O material é leve, não carrega vírus ou bactérias, mas pode provocar reações alérgicas nas pessoas”, disse o secretário. O IAP e a prefeitura solicitaram que a empresa providenciasse a limpeza das ruas e casas, o que foi atendido prontamente. “Uma parte da sujeira já foi limpa”, informou o secretário ontem à tarde.

A empresa informou, em nota, que “apesar de toda a cautela em manutenção e inspeção dos equipamentos, esse foi um incidente imprevisível, sendo o primeiro ocorrido no referido equipamento desde que a empresa se instalou naquela região, há mais de 12 anos”.

Na nota, a “Tafisa enfatiza que esse material não representa nenhum dano à saúde da população ou ao meio ambiente”. O IAP informou que os técnicos ainda não sabem se houve danos ambientais na cidade, e que isso só será confirmado hoje.

A Tafisa reforçou, ainda, que “os cuidados e a preocupação ambiental e com a segurança do trabalho são pilares da gestão da empresa, que possui certificados como ISO 14.001 (gestão ambiental), ISO 9.001 (qualidade) e OHSAS 18.001 (saúde e segurança).