Durante a primavera, algumas doenças começam a aparecer com maior frequência, como as respiratórias e as alérgicas (rinite, sinusite e asma), além das viroses, como sarampo, rubéola e catapora. O aumento da incidência dessas doenças deve-se, principalmente, ao ar seco e ao pólen das plantas que irrita as vias aéreas e os olhos. De acordo com o clínico geral Hector Alfredo Gutierres, credenciado da Paraná Clínicas Planos de Saúde Empresariais, alguns cuidados devem ser tomados nesta estação do ano. “Se a pessoa já tem pré-disposição às alergias respiratórias, devem ter mais cuidado com lugares fechados, ambientes que possuam flores, carpetes, cortinas e animais”, diz.  

As altas temperaturas na primavera também provocam uma maior incidência de chuvas, enchentes e alagamentos. Esses eventos podem predispor às doenças como leptospirose, hepatite A e dengue. “Cuidar com locais que possam acumular água parada é fundamental para evitar a proliferação das larvas dos insetos que transmitem doenças, como o mosquito da dengue, o Aedes Aegypti ”, explica Gutierrez.  
 
Os animais domésticos, também necessitam de cuidados especiais nas épocas quentes. O calor aumenta a proliferação de doenças causadas por pulgas e carrapatos, tendo como vetores animais de estimação (cães e gatos). Para a proteção da família, é importante a higienização tanto do ambiente comum de circulação, como do local em que o animal fica com frequência, deixando o ambiente sempre arejado.  
 
Alimentação balanceada  
Na primavera as pessoas devem dar preferência ao consumo de legumes, verduras e frutas e evitar ingestão de alimentos gordurosos, embutidos, enlatados e produtos que tenham facilidade para estragar, como maionese, ovo e queijo. Gutierrez também orienta evitar o consumo de bebidas alcoólicas em excesso e dar preferência à água e aos sucos naturais. Do mesmo modo, a alimentação deve receber cuidados especiais, principalmente, com a higiene. “A alimentação é de extrema importância para preservar a flora intestinal e evitar diarreias, por isso, é preciso atentar ao manuseio dos alimentos e sua conservação”, alerta.
 
Pele sadia
Para evitar complicações na pele, como alergias e as temidas manchas, que podem gerar um futuro câncer de pele, é preciso respeitar horários corretos de exposição ao sol. Deve-se, ainda, manter a pele sempre hidratada e fazer uso frequente de protetor solar. “Alimentos leves como frutas, principalmente, as que contenham mais água, como abacaxi, melão, laranja e melancia, são ótimas para hidratar o corpo”, acrescenta Gutierrez. Segundo o clínico geral, o uso de roupas leves, que façam o corpo “respirar”, também é indicado para diminuir a probabilidade de alergias. 
 
Cinco dicas para cuidar da saúde em climas quentes  

– Mantenha o ambiente arejado, com janelas e portas abertas, para evitar as doenças alérgicas;  
– Não deixe água parada;  
– Faça hidratação constante, do corpo e da pele. Tome bastante água e faça uso de hidrantes após o banho;
– Consuma alimentos mais leves e de fácil digestão;  
– Proteja-se do sol e faça uso constante de protetor solar, chapeis e óculos, respeitando os horários adequados de exposição ao sol.