Caso os cirurgiões-dentistas não consigam entregar a pauta de reivindicações ao prefeito Luciano Ducci, nesta segunda-feira (26), a categoria vai remeter o documento à secretária municipal de saúde, Eliane Chomatas. Os profissionais se reúnem amanhã, às 10h, na Boca Maldita, e seguem em caminhada até a prefeitura. O ato faz parte da greve, que completa quatro dias hoje (25).

As principais reivindicações são a equiparação salarial entre dentistas e médicos – que, segundo o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc), receberam aumento salarial de 100% – e manter a gratificação para profissionais que atuam no Estratégia de Saúde da Família, que, segundo proposta de prefeitura, passaria de 80% para 60%. A prefeitura oferece reajuste salarial de 10% em janeiro de 2012 e 10% em janeiro de 2013.

Liminar

Na última sexta-feira (23), o Tribunal de Justiça do Paraná recusou a maior parte das solicitações feitas pela prefeitura referente à greve. O desembargador Luiz Mateus de Lima determinou que não serão descontados os dias parados e que deverá ser mantido um dentista por unidade, e não por turno, como exigia a prefeitura.

De acordo com Irene Rodrigues, secretária de assuntos jurídicos do Sismuc, o sindicato já havia disponibilizado um contingente mínimo de profissionais para garantir o atendimento. Caberia à prefeitura fazer a escala dos dentistas para cobrir a demanda.

Ao todo, 628 cirurgiões dentistas atuam em Curitiba, atendendo nas unidades básicas de saúde, nos Centros de Especialidade Odontológica (CEO) e no programa Estratégia de Saúde da Família (ESF).