O presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Rafael Greca, entregou neste sábado (1.º), em Ponta Grossa, as chaves de 130 unidades do programa Casa da Família a seus novos moradores. As moradias do Residencial Santa Clara são resultado do investimento de R$ 2,5 milhões e o novo lar de famílias com renda mensal de três a cinco salários-mínimos mensais.

?É com alegria que entrego este conjunto, que a cidade de Ponta Grossa confiou à memória de Santa Clara. Vejo aqui um cenário muito bonito, de mudanças?, disse Greca. ?A casa é um espaço onde a família vai fundar a sua cidadania, vai construir a sua história, é o seu endereço dentro da cidade?, explicou.

?O Residencial Santa Clara é um exemplo de convívio entre pessoas de diferentes classes sociais. Este conjunto representa a filosofia em que o governador Roberto Requião e nós, na Cohapar, acreditamos: o Brasil que pode ser melhor. Aquim em breve irão convivem famílias com diferentes rendas?, argumentou Greca. ?Uma das infelicidades do Brasil é a separação da sociedade por níveis de renda?, completou.

O prefeito de Ponta Grossa, Pedro Wosgrau Filho, se disse satisfeito com a entrega das chaves aos mutuários do empreendimento Santa Clara. ?É um momento importante na vida de todas estas pessoas que, pagando uma prestação bastante reduzida, podem ter a casa própria?, afirmou. ?Este é um conjunto habitacional de primeira qualidade. Só podemos agradecer ao governador e à Cohapar por mais um investimento nesta cidade?, enfatizou.

As 130 casas do Residencial Santa Clara são financiadas pela Caixa Econômica Federal na modalidade hipoteca, têm dois ou três quartos, sala, cozinha e banheiro, são construídas em alvenaria e cobertas com telhas cerâmicas. Elas podem ter área construída de 40, 44, 52 ou 63 metros quadrados, de acordo com a renda do mutuário.