Uma caminhonete foi apreendida em Foz do Iguaçu com mais de R$ 50 mil em multas. O veículo – modelo Captiva e com placas da Argentina – foi abordado pela Guarda Municipal em uma fiscalização de rotina pela área central da cidade. Ele foi recolhido devido à falta do “macaco”, equipamento obrigatório exigido pela legislação de trânsito no Brasil.

No entanto, não basta ao condutor colocar o equipamento na caminhonete para retirá-la do pátio e voltar a trafegar. Segundo o Instituto de Transportes e Trânsito de Foz do Iguaçu (Foztrans), o carro só poderá ser devolvido ao proprietário após a quitação de todas as multas.

Na sexta-feira (12), quando foi apreendido, o carro apresentava 313 infrações. Já na manhã desta segunda-feira (15), outras duas multas registradas nas últimas semanas entraram no sistema, totalizando uma dívida de R$ 53.678,74. Os débitos mais antigos são de janeiro de 2014.

De acordo com Robson Lima Souza, diretor de trânsito da Foztrans, em quatro situações o veículo foi visto avançando o sinal vermelho, enquanto nas outras 311 infrações, ele foi multado por excesso de velocidade. Todas as multas foram registradas em Foz do Iguaçu e em 13 delas o veículo ultrapassou em 50% a velocidade máxima permitida pelas vias urbanas, que é 60 km/h.

“O que mais nos preocupa em relação a esse caso é saber que cada uma dessas infrações, o condutor poderia ter causado um acidente, inclusive com vítimas”, disse o diretor, que também atendeu um caso semelhante em 2017, quando outro veículo foi apreendido com 307 multas. “Mas essa GM Captiva apreendida agora é a recordista aqui na cidade”, afirmou.

Quitação dos débitos

Segundo a Foztrans, o motorista informou ao instituto que pretende quitar a dívida. Ele tem 60 dias para efetuar esse pagamento e, nesse período, recebe 20% de desconto no valor total, reduzindo o débito para R$ 42.942,99. Além desse valor, o condutor também precisa pagar as diárias em que o veículo ficou no pátio e os gastos com guincho. Cada diária custa R$ 47 e o valor cobrado pelo guincho é R$ 170.

Caso as dívidas não sejam quitadas no prazo de 60 dias, a caminhonete será leiloada.