O sistema de coleta de lixo de Curitiba voltou ao normal na noite de ontem. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) considerou legal a paralisação promovida pelo Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação (Siemaco) e determinou que a Cavo – empresa responsável pela coleta de lixo e limpeza pública na capital -, reajustasse o salário e os benefícios de alimentação dos funcionários em 10%. Além disso, a juíza Wanda Santi Cardoso da Silva determinou que todos os coletores deveriam voltar ao trabalho até às 19h de ontem. Durante a tarde, apenas 35% do serviço funcionou.

“Muitas categorias conseguem reajuste abaixo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) ou parcelado. Nós conseguimos 2,43% acima do INPC, o que recompõe uma parte das perdas”, comemorou o presidente do Siemaco, Manasses Oliveira da Silva. O índice proposto anteriormente pela empresa para os dois itens era de 7,47%. A decisão do TRT é retroativa à 1.º de março, data-base da categoria. Os funcionários da Cavo também vão receber o reembolso dos planos de assistência médica no valor de R$ 15 e uma cesta básica no valor de 50% do vale-alimentação relativo ao dia de trabalho na terça-feira de Carnaval.

Segundo Silva, os trabalhadores cumpririam as determinações judiciais e os 48 caminhões de coleta de lixo que circulam à noite estariam nas ruas após as 19h. “Fizemos um acordo de que cada coletor não poderá trabalhar mais que dez horas diárias. Por isso, acho que para normalizar a situação levaremos entre cinco e sete dias”, afirmou, contando que em três dias de paralisação cerca de 4 mil toneladas de lixo deixaram de ser recolhidas.

Histórico

A greve começou na manhã de segunda-feira com uma mobilização na frente da Cavo, no bairro Rebouças. Os funcionários reivindicavam 10% de reajuste salarial e 20% nos vales-refeição. Em um primeiro momento, não houve acordo sobre os valores. Na primeira audiência no TRT, realizada anteontem, foi determinado que 35% dos funcionários deveriam voltar ao trabalho, pois a limpeza pública é considerada serviço essencial. O Siemaco confirmou que as atividades foram retomadas ontem pela manhã, seguindo a determinação de colocar nas ruas dezenove caminhões com três coletores cada um, no período diurno, e uma equipe de sete varredores mais um veículo com dois coletores para atender as feiras livres. Somente depois de três audiências no tribunal foi possível acabar com a greve.