A Prefeitura de Curitiba começou na manhã desta terça-feira (25) o mutirão de limpeza na Vila Parolin, na Regional Portão, uma das mais antigas e complexas áreas de ocupação irregular da cidade. Os trabalhos começaram com a limpeza no córrego Vila Guaíra, roçada e serviços de orientação de saúde e de educação ambiental à população que mora na região.

“É um esforço concentrado para melhorar o local de convívio e também manter a proteção ambiental e evitar alagamentos”, diz o administrador da Regional Portão, Fernando Guedes. As obras estão sendo feitas por equipes das secretarias municipais de Obras, Meio Ambiente, Saúde e do Distrito de Manutenção Urbana da Regional Portão.

Durante o mutirão de limpeza, equipes de educação ambiental percorrerão as casas para orientar os moradores sobre a importância de não jogar lixo e outros materiais perto do córrego. “A participação da comunidade é fundamental para viver em um ambiente mais saudável”, disse o mecânico Rodrigo Rodrigues de Souza, que acompanhou de perto o trabalho das equipes de limpeza.

Na área onde estão concentrados os serviços, agentes de saúde também fazem visitam e levam informações sobre prevenção à dengue e à leptospirose. O mato é cortado e o acúmulo de lixo e entulho é recolhido. No córrego Vila Guaíra, a captação manual do lixo acumulado no leito é feita com barcos, por funcionários da Secretaria do Meio Ambiente.

Para o presidente da Associação de Moradores, Edson Rodrigues, a parceria com a Prefeitura melhorou a vida da comunidade. “Desde 2005 a região do Parolin vem recebendo diversas obras e melhorias no atendimento das famílias. Estamos sempre em contato com a Prefeitura para definir as prioridades”, disse.

Melhorias

Localizada a menos de quatro quilômetros da área central, a Vila Parolin mudou muito na atual gestão. Obras, equipamentos municipais, atendimento social e a presença constante do poder público municipal provocaram uma verdadeira transformação na área.

A vila, na divisa dos bairros Parolin e Guaíra, já não convive mais com moradias no Beco do Bassani, um trecho de 150 metros nas margens do rio Guaíra, onde viviam 25 famílias em situação de alto risco. As famílias foram transferidas para um loteamento da Cohab, com toda a infra-estrutura, e o velho beco ganhou ruas e nova estrutura.

As crianças da região ganharam creche, o Centro Municipal de Educação Infantil Parolin, inaugurado em 2006, e um Armazém da Família, onde é possível comprar alimentos e produtos de higiene e limpeza a preços até 30% menores do que os praticados no mercado convencional. A comunidade ganhou também uma ambulância, entregue pela FAS à Associação dos Moradores da Vila Parolin.

Revitalização

E a região, incluindo a vila, ganhou muitas obras de revitalização, como o muro de arrimo na rua Antonio Parolin Junior e a Avenida do Canal, e a implantação de galerias de águas pluviais na rua Jackson Figueiredo. Em 2006, a Prefeitura construiu 42 casas para relocar famílias que viviam em situação extremamente precária.

Neste ano, a Cohab iniciou na área um amplo projeto de urbanização, que vai atender 1.507 famílias. Quem vive em situação de risco na beira do rio, em pontos de adensamento excessivo ou de obstrução de ruas será reassentado em outro local. Para isso, serão construídas 677 casas em terrenos próximos à Vila. Outras 830 famílias serão beneficiadas com obras de infra-estrutura e melhoria habitacional.