Um trecho que já fez parte da história de Curitiba, hoje desvalorizado, esquecido e ocupado por prostituição e tráfico de drogas. Os comerciantes do eixo da Avenida Barão do Rio Branco e Rua Riachuelo não param de reclamar.

Funcionária de uma agência de turismo na Barão do Rio Branco, Edvânia Lourenço dos Santos diz que a área não tem muito problema de segurança, mas poderia ser melhorada em termos de imagem. "Poderia ser mais arborizada. Estamos bem próximos à Praça Osório, que também está horrível. Os prédios estão com as fachadas caindo aos pedaços. Uma revitalização seria ideal", afirma.

Na Rua Riachuelo, a reclamação é outra. "Tem muita mulher de programa e mendigos à luz do dia. Na Praça Generoso Marques então é pior. Acho que o museu, que está abandonado, serve à noite de esconderijo para maloqueiros. Isso é muito feio, porque a gente vem para o centro com as crianças. Precisaria ser melhorado", reclama Vanessa Cristina, funcionária de uma loja de roupa feminina.

A promessa da atual gestão municipal, com o projeto Marco Zero, é mudar essa cena. O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) parece estar dando os primeiros passos. Na segunda-feira, os monumentos da Praça XIX de Dezembro começam a ser limpos. Essa seria uma obra emergencial, assim como a recuperação do antigo Paço Municipal.

De acordo com o presidente do Ippuc, Clodualdo Pinheiro Júnior, a revitalização do trecho será feita quadra por quadra e edifício por edifício, além da recuperação viária da iluminação pública e até da iluminação cênica em alguns dos prédios. "A idéia é retomar as cores originais de todo o trecho, reconstruindo o valor histórico do passado da cidade. O objetivo é transformar o eixo em um centro de animação histórico", explica Clodualdo. Ainda segundo ele, a partir do momento que se atraia as pessoas novamente ao centro, às ruas, todos ganham, principalmente os comerciantes da região.

Sobre a recuperação do Paço Municipal, uma obra que foi anunciada já em 2005, mas que até agora não foi iniciada, Clodualdo afirma que até o final deste ano estará concluída. "Agora a gente já tem o dinheiro e os processos para o restauro já foram iniciados", garante. Já em relação às demais obras, depois da limpeza dos monumentos da praça XIX de Dezembro, as datas ainda não estão determinadas, mas ele afirma que "já tem um cronograma a ser cumprido ainda este ano", pórem conclusão da recuperação do trecho "é para até o final desta gestão", conclui.