Técnicos de várias áreas da administração municipal reuniram-se nesta sexta-feira para analisar o projeto de requalificação da avenida Cândido de Abreu. Integrantes da Comissão Técnica de Acessibilidade (CTA), coordenada pela Secretaria dos Direitos das Pessoas com Deficiência, eles avaliaram detalhes do projeto que transformará a avenida numa via prioritária para pedestres e transporte coletivo.

O projeto foi apresentado – aos membros da Comissão e ao secretário dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Irajá de Brito Vaz – pelo arquiteto  Reginaldo Reinert, do Ippuc, responsável pelo trabalho. A nova Cândido de Abreu é mais um projeto voltado à mobilidade segura como ocorreu com o Paço Municipal, a Praça Generoso Marques e a rua Riachuelo.

A Cândido de Abreu terá um calçadão central de 870 metros de extensão e 18 metros de largura, em todo o trecho entre as praças 19 de Dezembro e Nossa Senhora da Salete.  “Projetos focados exclusivamente no uso de automóveis são imediatistas e de pouca durabilidade. Na Cândido de Abreu vamos melhorar a qualidade da circulação dos pedestres e ao mesmo tempo atender ao transporte coletivo e ao sistema viário”, afirmou Reinert, destacando a pista exclusiva para os ônibus, paralela ao calçadão, e quatro estações-tubo, previstas no projeto.

A avenida tem atualmente quatro faixas no sentido bairro-centro e três faixas no sentido oposto. Uma destas três faixas é uma via marginal, compartilhada por automóveis e ônibus e considerada ociosa pelos técnicos de trânsito.Com o novo projeto, serão cinco pistas no sentido Praça Tiradentes, uma delas exclusiva para  ônibus, e duas na ligação da Tiradentes ao Palácio Iguaçu.

O secretario Irajá de Brito destacou a importância da reunião.  “Foi mais um marco para a CTA, pois todos os membros que participam da câmara tiveram a oportunidade analisar as questões de acessibilidade e aprovar mais essa parte do projeto”, afirmou.

Participam da Câmara Técnica as secretarias municipais da Pessoa com Deficiência, do Governo, da Educação, da Saúde, de Obras Públicas, do Urbanismo, do Turismo do Meio Ambiente, Assuntos Metropolitano, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano, Urbs e Fundação de Ação Social.