A Comissão Especial dos Táxis se reuniu, na tarde desta quinta-feira (17), e debateu as sugestões elaboradas pelos seus membros após a série de encontros com associações de táxi, com os permissionários, representantes sindicais, advogados, técnicos da Urbs e lideranças de outros segmentos.

Dentre as sugestões para o projeto que o prefeito irá elaborar, valendo-se dos dados do relatório produzido pela comissão, está o fim das permissões de táxi para empresas.

“As empresas detentoras de permissões serão respeitadas, mas o ideal seria que apenas taxistas de fato recebessem as novas placas”, afirmou Jair Cézar (PSDB), presidente da comissão.

Outra ideia é a de alinhar a quantidade de novas licenças com a população da cidade. “Levando em conta nossa população e o número de táxis, podemos fazer 550 novos táxis entrar em circulação gradativamente até o ano de 2014”, destacou o parlamentar, o que deixaria Curitiba com um táxi para cada 600 habitantes.

Debateu-se ainda as regulamentações sobre as novas permissões, como o número de sócios e as transferências, em caso de aposentadoria ou falecimento. “A permissão não pode se tornar uma moeda”, observou Algaci Tulio (PMDB).

Além de sugestões gerais e do relatório, a comissão encaminhará ao prefeito um modelo de projeto de lei. O relatório da comissão será lido em plenário na próxima segunda-feira (21). Na parte da manhã, às 10h, a comissão se reúne mais uma vez, para debater novas formas de atuação e possíveis ajustes no andamento dos trabalhos.