Um exame realizado pelo Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, confirmou a presença de febre amarela em um macaco de Salto Santiago, na região central do Estado. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (2) pela Secretaria da Saúde do Paraná. A coleta do exame é datada de 29 de fevereiro deste ano, período próximo à confirmação dos dois únicos casos autóctones da doença confirmados no Paraná.

O primata foi encontrado morto na região pelos técnicos que estão fazendo a coleta de amostras para diagnosticar a amplitude da circulação viral na região. Desde o dia 18 de março, cerca de 20 pessoas de quatro núcleos de entomologia estão fazendo uma varredura na área considerada de risco coletando materiais de primatas não-humanos e mosquitos com o objetivo de diagnosticar a presença do vírus na área.

A Secretaria também reitera que qualquer pessoa com sintomas de doenças íctero-hemorrágicas, como a dengue, febre amarela e leptospirose procure o mais rápido uma unidade de saúde. A Secretaria continua recebendo notificações de unidades de saúde das referidas doenças, em que prontamente se inicia um processo de investigação epidemiológica aliada a exames laboratoriais.