A onda de calor que assola o Paraná nos últimos dias provocou um aumento de 30% no consumo de água em todo o Estado. O problema é agravado pela falta de chuva, que afeta a produção de água tratada pela Sanepar.

Em Cascavel, a média histórica da temperatura máxima para o mês de fevereiro é de 28,6 graus. No domingo (5), chegou a 37 graus. O reflexo no consumo de água foi imediato, com aumento de 25%. Em Londrina, onde a temperatura chegou a 34 graus, a alta no consumo foi ainda maior, chegando perto dos 30%.

Em Toledo, a população também consumiu 29% a mais de água tratada no domingo (que tradicionalmente é o dia de menor consumo). Em Foz do Iguaçu, onde a temperatura subiu para 33 graus, o consumo de água tratada aumentou 10,5% – percentual próximo ao registrado em Maringá (10,46%), onde a temperatura bateu nos 35 graus.

Em Curitiba e Região Metropolitana, o aumento no consumo de água nos últimos dias foi da ordem de 10% em relação à média. Segundo o Instituto Simepar, a média histórica de temperatura na região durante esta época do ano é de 26 graus.

Na sexta-feira (3), a temperatura chegou a 34,6 graus em Curitiba, a maior registrada nos últimos seis anos. Em Cerro Azul, a 92 quilômetros da capital, os termômetros alcançaram 39,9 graus.

Devido ao elevado consumo e às obras executadas pela Sanepar na Estação de Tratamento de Água Iguaçu, moradores dos bairros mais altos de Curitiba e também de Pinhais e Piraquara tiveram problemas de abastecimento, principalmente em imóveis que não têm caixa de água, conforme determina a norma técnica. O reservatório domiciliar deve ter capacidade para abastecer o imóvel por, no mínimo, 24 horas.

Para amenizar os impactos do pico de consumo em Curitiba e Região Metropolitana, a Sanepar está usando toda a capacidade instalada nos sistemas Miringuava, Iguaçu, Iraí e Passaúna. Os quatro funcionam de forma integrada.

Estão sendo realizadas obras para melhorar a capacidade de produção e de distribuição do sistema. Os técnicos acompanham a evolução do consumo dia e noite, fazendo remanejamentos que permitam reduzir as consequências do aumento no consumo e queda na produção de água.

Uso racional – A população pode colaborar. Basta usar água tratada racionalmente, reduzindo o tempo no banho, reutilizando a água usada na máquina e tanque de lavar roupa e deixando de lavar carro e calçada, entre outras mudanças nos hábitos de consumo.

Dicas para reduzir o consumo de água

Para limpar a casa e o carro:

– Reduza a lavagem diária de roupa. Acumule e use a capacidade máxima da máquina de lavar.

– A água do último enxague do tanque ou da máquina pode servir para regar jardim e grama, ensaboar tapetes, tênis e outras peças.

– A água do tanque ou da máquina em que foi lavada a roupa serve para lavar calçadas e pisos. Lembre-se: lavar as calçadas com a mangueira é desperdiçar água tratada. Para “varrer” a sujeira, use a vassoura.

– Feche a cuba da pia, deixando um pouco de água. Ensaboe toda a louça e enxague com água limpa. Não deixe a torneira aberta durante todo o tempo.

– Lave o carro usando balde: isso economiza até 300 litros de água.

Na higiene:

– Cinco minutos de chuveiro consomem 70 litros de água. Reduzir o tempo do banho faz muita diferença na conta.

– Reduza o tempo da torneira aberta enquanto escova os dentes, ensaboa as mãos ou faz a barba. Torneira aberta manda para o ralo 20 litros de água por minuto.

– Prefira vasos sanitários menores, que utilizam menos água para a descarga.

Outras dicas:

– Verifique se há torneiras pingando ou vazamento em vaso sanitário e nas demais instalações da rede interna. – Se observar vazamento de água na rua, avise a Sanepar imediatamente pelo telefone 115