As condições do asfalto do Contorno Sul, que liga as BRs-277 e 376, causaram mais uma série de transtornos durante todo o dia de ontem. Devido à forte chuva, muitos buracos se formaram ao longo do trecho e os motoristas que passavam no local eram obrigados a frear bruscamente e realizar manobras ousadas para desviar dos obstáculos.

O trecho mais castigado fica próximo ao viaduto sobre a Rua Eduardo Sprada. No local há um buraco com pouco mais de um metro de largura e cerca de 15 centímetros de profundidade, responsável por todos os danos causados ao veículo. Só no domingo à noite, cerca de dez carros tiveram o pneu furado no local. Na sexta-feira, oito veículos se acidentaram.

Outro trecho perigoso fica exatamente em frente à fábrica de caminhões da Volvo. Além de diversos buracos, no local há uma grande cavidade que também força carros, caminhões e bicicletas a realizar manobras bruscas. Segundo o motoboy Varlei dos Santos, que trabalha na região, os acidentes são constantes e em dias chuvosos a situação piora. “Precisa dar uma solução permanente. É só chover que aparece buraco. Daí o pessoal vem e fecha e assim vai. Tem que fazer uma obra que dure, se não mais acidentes vão acontecer”, diz.

A Polícia Rodoviária informa que já alertou o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), mas nenhuma providência foi adotada. Segundo a assessoria de imprensa do órgão público, assim que passarem as chuvas, o serviço de tapa-buracos será retomado. Além disso, solução permanente também deve acontecer em breve, já que foi licitado e está em andamento a elaboração de projeto de restauração e melhoramentos para todo trecho do Contorno Sul e as vias marginais à rodovia. O projeto deve ser entregue neste ano.

Enquanto os serviços não são executados, o Dnit alerta aos usuários que dirijam com atenção, especialmente sob condições adversas, respeitando e reduzindo a velocidade sempre que necessário.

Veja na galeria de fotos a situação do Contorno Sul.