Fábio Alexandre
Prédio tem 51 anos e tem sérios problemas de infra-estrutura.

A Prefeitura de Curitiba assina amanhã convênio com a Casa do Estudante Universitário (CEU), transferindo cerca de R$ 2,3 milhões para a revitalização do prédio que tem 51 anos e nunca passou por reformas. A maior casa universitária da América Latina, com vaga para 400 estudantes, apresenta problemas na fiação elétrica, encanamento, além de infiltração nas paredes.

A CEU tem mais de meio século e apesar de já ter abrigado figuras ilustres do Estado, nunca passou por uma reforma. Todos esse anos, sem nenhum reparo, apareceram vários problemas. O presidente da casa, Bohdan Metchko, diz que os estudantes estão expostos aos riscos, por exemplo, de incêndio que poderia ser provocado por curto-circuito. A reforma da casa demorou porque a documentação e as contas não estavam em dia. Para a Sanepar, os estudantes devem R$ 70 mil, além de outros R$ 80 mil para o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), entre outras dívidas trabalhistas. ?Foram 20 anos de abandono?, falou Bohdan.

Negociação

O primeiro passo para conseguir os recursos foi a audiência que os estudantes conseguiram com o Ministério da Educação. Foi liberado, através de convênio com a Universidade Federal do Paraná, cerca de R$ 800 mil. Com o aval da universidade ficou mais fácil negociar com Prefeitura de Curitiba, que vai captar os recursos e repassar à instituição.

Segundo Bohdan, as obras começam em setembro e devem durar um ano. A casa tem 400 vagas, mas hoje apenas 300 são ocupadas. Com a reforma, será possível usar toda a capacidade.