A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Trânsito, que vai apurar e debater as causas dos acidentes e o que pode ser feito para reduzir o alto número de vítimas em Curitiba, realizou ontem mais uma sessão na Câmara Municipal. Motoristas imprudentes, excesso de velocidade ou a mistura de álcool com direção são apenas alguns exemplos citados pelos participantes da CPI e que ocorrem todos os dias nas principais vias da capital. Vereadores e juízes convidados também discutiram o papel dos pedestres (que também desrespeitam a sinalização), os motoboys e os ciclistas. A CPI quer especificar no relatório que deve ser concluído no próximo mês, as principais causas de acidentes na cidade.

Um dos ítens preocupantes no trânsito da cidade são as mortes entre os ciclistas. Segundo, o juiz Edson de Oliveira Macedo Filho, convidado pela CPI, quarenta mortes foram registradas do início do ano até a tarde de quarta-feira na capital.

“Deveria ser criada uma lei em que todos fossem punidos”, sugere. “Os ciclistas muitas vezes abusam, assim como os motoboys, não respeitando o trânsito.”

Uma das propostas apresentadas para a diminuição dos acidentes seria utilizar o dinheiro arrecadado em multas de trânsito, de radares, e com os cartões da zona de Estacionamento Regulamentado (EstaR) para educar os motoristas, prevenindo futuros acidentes e criando uma política pública mais rigorosa com os infratores. “Temos o direito de saber o que está sendo feito com a arrecadação das multas”, afirmou o juiz Rogério Ribas. “Esse dinheiro pode ser aplicado na melhoria do trânsito de Curitiba.”

De acordo com Rogério, blitze noturnas durante o fim de semana em cruzamentos estratégicos, nos bares e domingos à tarde nos parques da cidade, já seriam um começo para diminuir o risco de acidentes. “O maior número de vítimas ocorre no fins de semana”, afirma. “Jovens alcoolizados não percebem o perigo que estão correndo e acabam sofrendo uma tragédia.”

Participaram da sessão da CPI o vereador Jônatas Pirkiel, presidente da comissão, a juíza Priscila Govanski Araújo Sarrão, da Vara de Delitos de Trânsito, e os vereadores Jair Cézar (PTB), Nely Almeida (PSDB), Paulo Salamuni (PMDB) e Adenival Gomes (PT). (Rubens Chueire Júnior)