Entre choros, pirulitos e brinquedos, milhares de crianças de Curitiba tomaram ontem a segunda dose da vacina contra a poliomielite. A campanha, que aconteceu em âmbito nacional, estava presente em 328 postos fixos da cidade e em mais de quatro mil postos em todo o Paraná.

Em Curitiba, a intenção da prefeitura era imunizar 114 mil crianças menores de cinco anos de idade, seguindo assim o bom resultado atingido na primeira etapa da campanha.

No restante do Paraná, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), a meta era imunizar 95% da faixa etária, o que corresponde a 731 mil crianças. Segundo a secretária municipal da Saúde, Eliane Chomatas, a primeira fase da campanha atingiu por completo a faixa etária desejada.

“Chegamos a alcançar 100,6% de cobertura. Isso aconteceu por conta das crianças de outras cidades da região metropolitana que por ventura tomaram as duas gotinhas na capital”, explicou.

Chomatas afirmou ainda que a campanha é essencial. “Esse trabalho intenso nos permite manter a taxa de circulação do vírus vacinal alta, o que gera a prevenção, que nesse caso está em primeiro lugar. Felizmente estamos com uma boa adesão por parte da população”, disse.

Para Jean Rodrigues, a segunda dose da vacina é importante para manter a saúde do seu filho em dia. “Fizemos questão de vir cedo para prevenir. Quero manter a saúde do baixinho boa”, disse. Já a dona de casa Andrea Araújo, preferiu trazer a carteirinha para checar se todas as vacinas estão em dia.

“Felizmente está tudo certinho com ele, só faltavam as duas gotinhas da segunda dose”, disse. Já Donizete Magri, afirmou que a vacinação é importante para todos. “Sei que ao trazer minha filha não estou beneficiando apenas a saúde dela, mas de todos. A vacinação é uma questão de saúde pública”, opinou.

Ao mesmo tempo em que as crianças tomavam as duas gotinhas contra a pólio, os pais ou responsáveis podiam tomar alguma vacina que estivesse atrasada. Ontem estavam sendo disponibilizadas vacinas contra tétano, febre amarela e alguns tipos de hepatite. Essas são vacinas básicas e que estão sempre disponíveis na rede municipal de saúde.