A capital paranaense poderá ser a próxima cidade a sediar a Conferência Executiva de Segurança Pública para a América do Sul da International Association of Chiefs of Police (IACP), no ano que vem. A pré-candidatura foi aceita pela entidade internacional nesta terça-feira (11), durante a Conferência no Rio de Janeiro. O anúncio oficial da cidade será no mês de outubro, na cidade de New Orleans, Estados Unidos. Caso Curitiba seja aprovada, o evento será feito em parceria com a Secretaria de Estado da Segurança Pública.

?Esse evento é uma oportunidade rara para se ter acesso a tudo que existe de mais avançado em tecnologia e técnicas de atuação policial. Se for realizado em Curitiba, será mais uma oportunidade de crescimento para os nossos policiais? afirmou o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari.

Entre os dias 13 a 17 de outubro próximo, o secretário Delazari estará em New Orleans para apresentar a candidatura de Curitiba como sede do evento da IACP. Além da capital paranaense, São Paulo, Florianópolis e Brasília também apresentarão suas propostas. Serão avaliados quesitos de infra-estrutura da cidade como espaços para eventos e hospedagem, pontos turísticos e segurança.

As conferências, em geral, contam com palestras, painéis e oficinas ministradas por autoridades renomadas da segurança pública em todo o mundo. Paralelamente, realiza a Feira Internacional de Tecnologia, Serviços e Produtos para Segurança Pública (Interseg), onde as maiores empresas do mundo na área da segurança expõem seus produtos e divulgam aparatos policiais de última geração.

Em outubro de 2005, o Paraná foi sede, em Foz do Iguaçu, da 5.a Conferência Executiva de Segurança Pública para América do Sul. O evento foi um sucesso e contou com a participação de mais de 4.500 pessoas, que assistiram palestras e visitaram os estandes com as novidades tecnológicas da Feira. Entre os assuntos abordados na época estavam em pauta temas como a cultura do medo, ?cyber crimes?, banco de dados internacional integrado, tecnologias da investigação e o papel da mídia frente à crise da segurança pública e marketing de segurança pública.