A 5.ª Semana de Enfrentamento às Drogas foi aberta ontem, com anúncio da criação da rede Curitiba Cuida, que envolve vários segmentos do poder público e da sociedade civil para promover novo enfoque sobre o assunto. Além disso, foi divulgada a ampliação da rede de atenção a dependentes químicos. Essas novidades integram o Plano da Política Municipal sobre Drogas. “O foco não é a repressão, mas a prevenção e a inclusão social”, explicou o prefeito Gustavo Fruet.

Para isso, a prefeitura prioriza três frentes: prevenção, tratamento e reinserção social. Dois programas tratam da prevenção: qualificação inicial de 600 profissionais da rede municipal de ensino, que atingem diretamente 7,7 mil alunos e 21 mil famílias; e de 220 representantes de comunidades locais, que irão atuar como multiplicadores.

Novidades

O município já ampliou a rede de atendimento e promete novidades para breve, como quatro consultórios de rua e ônibus solidários. O número de leitos destinados aos usuários nos 12 Centros de Atenção Psicossocial (Caps) passou de cinco, no início do ano, para 45. A ideia é chegar a 300 até 2016. Desde 6 de abril, estão funcionando em tempo integral os Caps Portão e Cajuru, destinados ao atendimento de usuários de álcool e drogas. O Caps Centro Vida, na Vila Izabel, é direcionado ao atendimento de crianças e adolescentes usuários de álcool e drogas.

Outra ação da rede será o incentivo à formação técnica dos usuários em tratamento, em esforço conjunto da Secretaria Municipal do Trabalho, dos núcleos de cultura e geração de renda da Fundação de Ação Social (FAS), da Fundação Cultural de Curitiba e de parcerias com instituições como Fiep, Sesi e Senai.