Desde a meia-noite de hoje, a passagem de ônibus está mais cara em Curitiba. A tarifa subiu de R$ 1,35 para R$1,40. Segundo a Urbs, empresa responsável pelo transporte coletivo na Grande Curitiba, o segundo aumento do ano foi forçado pela alta do diesel, anunciada durante esta semana.

Apesar do reajuste, a Urbs diz que vai operar com déficit de R$ 800 mil por mês. Segundo a planilha oficial, os gastos mensais com transporte são de R$ 38,2 milhões. Com os passageiros pagando R$ 1,40, a arrecadação chega a R$ 37,4 milhões. Pelas contas da Prefeitura, o rombo será de R$ 9,6 milhões por ano.

Por esse motivo, o diretor de Transporte da Urbs, Euclides Rovani, não descarta uma diminuição no número de veículos em linhas com menos movimento ou a substituição de ônibus por microônibus.

Com isso, a passagem de Curitiba passa a ser uma das mais caras do país. Perde para Brasília (R$ 1,50) e empata com outras grandes cidades, como São Paulo e Santos. O principal argumento da Prefeitura para o alto preço da tarifa continua sendo o da integração. Segundo Rovani, a tarifa de Curitiba é “social” já que quem mora mais longe e tem de pegar mais ônibus paga apenas uma passagem.