O piloto curitibano Asteclínio da Silva Ramos Neto está preso em uma solitária há uma semana em um complexo penitenciário de Lima, capital do Peru. A informação é do advogado de Neto, Rodrigo Faucz. Até então, o piloto estava detido em um presídio na província de Satipo.

Detido desde abril, ainda não há perspectivas de que o paranaense responda em liberdade pelo crime de conspiração ao tráfico de drogas, do qual é acusado. Neto pilotava um avião que foi abatido pelas Forças Armadas peruanas, quando sobrevoava a localidade de Rio Tambo, na província de Satipo, no Peru. O rapaz de 28 anos foi atingido por dois tiros de fuzil.

Segundo o advogado, o estado de saúde do curitibano inspira cuidados. “A gente havia pedido para que ele fosse transferido para um estabelecimento de saúde e mandaram ele para uma solitária”, revela Faucz. O advogado entrou com pedido para que Neto retorne ao presídio em que estava.