A Guarda Municipal de Curitiba, agentes da Diretran e funcionários da Secretaria Municipal do Meio Ambiente participaram da ação integrada com a Defesa Civil contra os estragos provocados pelo temporal que caiu no final da tarde deste domingo em Curitiba.

Árvores e postes foram derrubados pela chuva e pelo vento em diversos pontos da cidade. Ruas ficaram alagadas, a energia foi desligada em alguns bairros.

De acordo com a Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba, a chuva provocou estragos em praticamente todas as regiões de Curitiba, mas não houve registro de mortes, segundo a Polícia Militar.

O Hospital Cajuru, no bairro Cristo Rei, foi interditado em virtude de alagamento na parte interna do estabelecimento.

No Bom Retiro, houve desabamento do telhado do supermercado Condor. No bairro Mercês, uma antena de transmissão caiu sobre uma casa, na Rua Jeremias Lissa. Parte do telhado do Polo Shopping do Alto da XV desabou, inundando algumas lojas do local.

Na Rua Brigadeiro Franco, esquina com Padre Anchieta, uma árvore e um poste caíram sobre um carro. No Vista Alegre, caiu o telhado do conjunto residencial Monte Verde, na Rua Vanda Wolf.

No Bigorrilho, no trecho entre as Ruas Martim Afonso e Mário Tourinho, houve uma batida envolvendo três carros.

Segundo a Agência, os registros mais comuns, em quase todos os bairros da capital foi de queda de árvores. Há casos na Vitor Ferreira do Amaral, no Tarumã, na Ubaldino do Amaral, no Alto da Glória, em ruas do bairro Santa Felicidade e Hugo Lange.

De acordo com o Simepar, a entrada de uma frente fria no Paraná foi a causa da forte chuva desta tarde. Segundo o meteorologista, Itamar Moreira, é normal a ocorrência de chuva de granizo nesta situação.

Na estação do Simepar, que fica no Jardim das Américas, a velocidade do vento variou entre 20 e 30 quilômetros por hora. O que, conforme o meteorologista, é considerado normal, informou a agência.