Desde que foi criada, em setembro de 2011, a Delegacia Eletrônica da Polícia Civil já fez quase 300 mil atendimentos, tornando desnecessária a ida das pessoas às delegacias ou distritos policiais para registrar queixa. O site na internet (www.delegaciaeletronica.pr.gov.br) começou apenas para registro de perda ou extravio de documentos. Mas logo os serviços foram ampliados não só para o público externo, mas também para os policiais agilizarem a tramitação de documentos judiciais entre delegacias.

Entre os serviços ampliados à população estão os registros de furtos de documentos, comunicação de pessoas desaparecidas, verificação de carros furtados ou roubados e denúncias, que podem ser identificadas ou anônimas.

O delegado titular da Delegacia Eletrônica, Eduardo Marcelo Castella, diz que as denúncias identificadas são feitas por pessoas que desejam retorno da informação, se a denúncia foi adiante, se resultou em algo. Mesmo assim, alertou Castella, a identidade do denunciante é preservada. Ele também disse que as denúncias facilitam muito o trabalho da polícia e devem ser feitas sem receio pela população.

Desaparecidos

A queixa de pessoas desaparecidas pela internet também tornou mais rápida a divulgação do sumiço e também início dos trabalhos policiais. Assim que o boletim é concluído, a foto da pessoa desaparecida também é divulgada nas redes sociais para agilizar e ampliar a coleta de informações.

De setembro a dezembro de 2011, a delegacia realizou 29.742 atendimentos. Em 2012, a quantia subiu para 125.782. E em 2013, os atendimentos chegaram a 134.618. A maior quantidade de queixas, diz Castella, é em relação a perda ou extravio de documentos. Em seguida, vem os furtos de documentos e, depois, as denúncias.