O dia do cirurgião-dentista foi comemorado ontem em todo o País e marcado por manifestações contra os abusos e ilegalidades dos planos de saúde odontológicos. Em Curitiba, os dentistas se reuniram na Boca Maldita, com faixas e folhetos contando à população os problemas que enfrentam diariamente.

Foi a quinta paralisação nacional da categoria, que se diz cada vez mais cansada de ser ignorada pelas diretorias das empresas de planos de saúde odontológicos. A informação é de Sibele Pereira de Oliveira, presidente da Comissão de Convênios e Credenciamentos do Conselho Regional de Odontologia do Paraná (CRO/PR).

A intenção dos dentistas é mostrar à população o descontentamento generalizado dos cirurgiões-dentistas com a maioria dos convênios odontológicos que prestam serviços no Estado. “O paciente é atendido da melhor forma, mas como o repasse dos planos é mínimo, atendemos inúmeros pacientes por dia para ter algum lucro, pois também temos contas”, comenta uma dentista, que preferiu não se identificar por medo de represálias. “Atendemos muito mais de 10 pessoas por dia e não deixamos de aceitar o plano porque precisamos dele”.

Abaixo da tabela

Para o presidente do Sindicato dos Odontologistas no Estado do Paraná (Soepar), Fabiano Melo, “os valores dos planos está muito abaixo da tabela da Comissão Brasileira Hierárquica de Procedimentos Odontológicos (CBHPO)”. Além disso, aponta outro problema. “Muitos dos procedimentos que fazemos, às vezes não são aceitos pelos planos, ou seja, gastamos nosso material, fazemos o tratamento e quando mandamos para o plano, devolvem sem ao menos dizer o motivo, as chamadas glosas”.

O descontentamento é unânime. “Não tem um dentista que nunca teve problema com o plano que trabalha e quando vamos reclamar de alguma coisa, somos destratados, isso quando nos atendem”, reclama a presidente do CRO/PR. Segundo ela, “o conselho tenta sempre lutar pelos direitos dos profissionais, mas precisa do apoio da população, de quem usa os nossos serviços, porque só assim as empresas vão começar a se mexer”.

A população pode reclamar e fazer sugestões sobre os planos odontológicos à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) pelo telefone 0800-701-9656.