A comissão de deputados da Assembleia Legislativa do Paraná entregou nesta terça-feira (31), ao Tribunal de Contas da União, em Brasília, o relatório técnico sobre o programa de desestatização de rodovias do estado. O documento foi entregue ao ministro Walton Rodrigues, relator do processo de concessão proposto pelo Ministério da Infraestrutura e ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

O trabalho levado ao TCU – do Instituto de Tecnologia de Transportes e Infraestrutura (ITTI), da Universidade Federal do Paraná (UFPR) – faz uma série de apontamentos sobre a concessão. “São 25 pontos principais, que abordam todos os riscos da atual modelagem que foi definida pelo governo federal”, explica o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD).

+ Veja mais: Uma aposta de Curitiba e mais sete paranaenses ficam pela “boa” na Mega-Sena 2486

Segundo ele, o ambiente encontrado pelos deputados foi bastante receptivo e colaborativo, e novas reuniões serão marcadas. Além de Romanelli, estiveram no TCU os deputados Marcel Micheletto (PL), líder do Governo; Arilson Chiorato (PT), líder da oposição e presidente da Frente Parlamentar sobre o Pedágio; Tião Medeiros (PP), coordenador da Comissão de Obras Públicas; e Evandro Araújo, coordenador da Comissão de Orçamento.

Romanelli ressaltou que a intenção da Assembleia Legislativa é contribuir para o aprimoramento do programa de concessões de rodovias tendo como base uma análise essencialmente técnica. “Levamos ao TCU um estudo técnico bem fundamentado. A expectativa é de que a área técnica do tribunal possa se debruçar sobre esses achados”, observou.

Ele alertou para novas variáveis que os órgãos federais inseriram no processo, que podem elevar a tarifa base dos pedágios. “A responsabilidade da concessão é do Governo Federal. O Paraná trabalhou para uma redução de 50% sobre as antigas tarifas”.

+ Leia também: Operação do Gaeco contra policiais civis e até um delegado é deflagrada em 12 cidades do Paraná

O deputado Romanelli reforça que todos os pontos relevantes que foram encontrados nos estudos do ITTI e as dúvidas colocadas pela sociedade civil organizada do Estado foram abordados na conversa com o ministro. “Agora teremos uma nova audiência no TCU, no âmbito da secretaria que está tratando desse modelo que foi apresentado”, disse.

Whatsapp da Tribuna do Paraná
RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.