Os passageiros das linhas de ônibus que passam pelas ruas da região do Centro Cívico e os que embarcam ou desembarcam nas estações-tubo Oscar Niemeyer, Centro Cívico, Assembléia Legislativa, Prefeitura, Comendador Fontana e Praça 19 de Dezembro devem estar atentos na manhã de amanhã. Com o desfile em comemoração ao Dia da Independência algumas ruas estarão totalmente bloqueadas das 6h às 14h e, por isso, as linhas serão desviadas.

Os ligeirinhos Boqueirão/Centro Cívico e Aeroporto não passarão pelo Centro Cívico no horário do bloqueio e terão o seu ponto final na estação Círculo Militar. Os motoristas que normalmente utilizam as ruas centrais do Centro Cívico também deverão estar atentos porque várias ruas estarão bloqueadas.

Desvio

O bloqueio começa na Avenida Cândido de Abreu, inclui a Rua Benedito dos Santos e vai até a Travessa José do Patrocínio. A seqüência formada pelas ruas Prefeito Rosaldo Gomes Leitão, Marechal Hermes, Eurípedes do Nascimento, São Sebastião e Alberto Folloni até o cruzamento com a Rua Manoel Eufrásio também estará bloqueada para a passagem de veículos.

Os motoristas que vêm em direção ao Centro Cívico pela Rua Roberto Barrozo ou pela Rua Barão de Antonina terão que desviar pela Rua Mateus Leme. Se o destino for mesmo o Centro Cívico, o motorista terá que entrar à esquerda na 13 de Maio, pegar a Riachuelo e Rua da Glória. Aqueles que vêm do Ahu, Cabral e Juvevê pela Campos Sales entram à esquerda na Mauá. Os que quiserem acessar o Centro Cívico deverão chegar na João Gualberto, à direita, e os que forem em direção ao centro da cidade e quiserem desviar do Centro Cívico poderão seguir reto pela Rua Mauá até a Amâncio Moro e então pegar a Ubaldino do Amaral até a Conselheiro Araújo.

Escolas antecipam parada

Moradores do bairro Santa Amélia fizeram uma pausa em suas atividades normais, ontem de manhã, para assistir a um desfile cívico. A marcha foi organizada por escolas da região. Participaram cerca de 2.500 estudantes do Colégio Estadual Avelino Antônio Vieira, dos municipais Professor Adriano Robine e Nova Esperança, da pré-escola Giacomino e das creches Santa Amélia, Colombo e Fazendinha.

Até 1999, o desfile era realizado apenas por alunos do Avelino. Nos últimos três anos, o evento deixou de acontecer. Este ano, voltou com força total e envolveu quase toda a comunidade do bairro. “Muitas pessoas se ofereceram para participar do desfile. Nós não esperávamos adesão tão grande. É uma forma de integração da comunidade”, disse a vice-diretora do colégio estadual, Simone Manfrin.

O principal objetivo do desfile, cujo ritmo foi ditado pela banda do próprio Avelino, composta por sessenta alunos voluntários, foi despertar o espírito patriótico dos estudantes. “Durante toda a semana, trabalhamos em sala de aula temas ligados ao patriotismo, como o reconhecimento dos símbolos nacionais e o amor à pátria”, contou Simone.

O desfile percorreu sete quadras pelas ruas Júlio Mesquita, Alcir Martins Bastos, Martins Fontes, Frederico Lambertuci e Fernando de Souza Costa. Foi encerrado por cerca de cem idosos do grupo de terceira idade da unidade de saúde Santa Amélia.