O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) promove hoje, em Curitiba, o terceiro leilão de sucata do ano. Serão colocados à venda 1.185 veículos para ferros velhos e desmanches. O Detran-PR encerra o primeiro semestre com 3.300 carros a menos nos pátios das regiões de Curitiba, Londrina e litoral. “Até o fim do ano, realizaremos mais dois leilões, nas regiões Norte Londrina e Maringá e Oeste Foz do Iguaçu, Cascavel e Toledo, totalizando 5 mil veículos a menos nos pátios”, informa Marcelo Belotti, coordenador administrativo do Detran-PR.

Atualmente, existem cerca de nove mil veículos nos 206 pátios usados pelo Detran-PR no Estado. Segundo Belotti, 47% desse total não podem ser colocados em leilão por ser objeto de furto ou por estar bloqueado judicial e administrativamente. Os demais 53% estão apenas ocupando espaço nos pátios. Por isso, o Detran-PR quer regularizar o estoque dos pátios em um ano, fazendo com que os novos veículos que forem apreendidos sejam colocados em leilão no prazo máximo de 90 dias, previsto em lei.

Os recursos arrecadados pelo Detran-PR com os leilões de sucata são usados no pagamento dos débitos do veículo com IPVA, multas e taxas de remoção e estadia. Se houver saldo após a quitação de todos os débitos, o proprietário recebe o restante dos recursos.

Apesar de ser uma importante ferramenta de gestão, o leilão não resolve o problema de superlotação dos pátios. “O mercado de ferros velhos e oficinas de desmanche vai ficar saturado e não conseguirá absorver os veículos de sucata na mesma velocidade com a qual passamos a administrar os pátios. Por isso, já estamos estudando alternativas jurídicas e administrativas para realizar leilões para a indústria siderúrgica, que usará esses carros como matéria-prima”, adianta Belotti.