Neste sábado (8) é dia de levar crianças entre 6 meses e 5 anos para vacinar contra a poliomielite. No Dia D da campanha nacional, as gotinhas estarão disponíveis das 8h às 17h em 108 unidades de saúde de Curitiba, além de escolas, igrejas, espaços comerciais e tendas na Boca Maldita e na Praça Tiradentes. A meta da prefeitura é imunizar pelo menos 98 mil crianças, o que representa 95% do público na faixa etária da mobilização.

A vacina oral contra a poliomielite para as crianças é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal estratégia para a erradicação da doença, já que não tem tratamento. A dose protege contra os sorotipos do poliovírus 1, 2 e 3. A eficácia da imunização é em torno de 90% a 95%. E é recomendada mesmo às crianças com tosse, gripe, coriza, rinite ou diarreia.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, a vacina é extremamente segura e não há contraindicações, sendo raríssimas reações associadas à sua administração. Em alguns casos, como em crianças com infecções agudas, com febre acima de 38 graus ou com hipersensibilidade a algum componente da vacina, recomenda-se que os pais consultem o médico para avaliar se a vacina deve ser aplicada.

Características

A pólio é doença altamente infecciosa causada por vírus (poliovírus) que invade o sistema nervoso e pode provocar quadros de paralisia. O vírus entra no organismo através da boca e se multiplica no intestino. Os sintomas são febre, fadiga, dor de cabeça, vômitos, rigidez do pescoço e dores nos membros. O último caso registrado em Curitiba foi em 1985 e no País, em 1989, na Paraíba. De acordo com a OMS, entre 2011 e 2012, 16 países apresentaram registros da pólio, principalmente no continente africano.