Apesar da discordância de muitos pais curitibanos, cujos filhos em idade escolar são beneficiados pelo programa passe escolar, a Urbs (empresa que gerencia o transporte coletivo na capital) mantém a decisão de substituir as fichas de vale-transporte por um cartão eletrônico, parecido com o já utilizado pelos idosos.

Nesta semana, responsáveis por algumas crianças e adolescentes beneficiados se reuniram e começaram a organizar um abaixo-assinado com a intenção de que a Urbs não torne obrigatória a aquisição do cartão. Muitos temem que o porte do cartão carregado chame a atenção de assaltantes e consideram abusivo o valor cobrado pela segunda via, caso a primeira venha a ser extraviada, que é correspondente ao valor de dez passagens de ônibus, ou seja, R$ 15,00. A aquisição de uma terceira via custará o correspondente a quinze passagens e de uma quarta o correspondente a vinte.

O diretor de transportes da Urbs, Euclides Rovani, considera natural a insegurança dos pais perante uma coisa que ainda lhe é uma novidade. Porém, acredita que, assim que as aulas recomeçarem, todos vão perceber as vantagens do novo sistema.

Para acabar com o temor dos pais de que seus filhos sejam assaltados, Euclides explica que o porte do cartão é muito mais seguro que o de fichas de vale-transporte, que muitas vezes são utilizadas como moeda corrente dentro da cidade. “As pessoas roubam fichas de vale-transporte e as trocam por outros bens nas padarias, bancas de revistas e em diversos outros locais. Como o cartão só pode ser utilizado no sistema de transporte coletivo e não como moeda, os assaltantes não terão interesse por ele”, declara.

A primeira via do cartão vai ser fornecida gratuitamente. Como a aquisição de vias posteriores é cara, o diretor de transporte aconselha os pais a ensinarem seus filhos a cuidarem bem do cartão, que também pode servir como um documento de identificação da pessoa que o utiliza. Caso o cartão venha a ser roubado ou extraviado, o proprietário pode ligar para a Urbs e pedir o cancelamento do documento. Os créditos remanescentes não serão perdidos, mas transferidos para um novo cartão.