Desde o dia 28 de novembro do ano passado, quando a fiscalização da Diretran passou a remover carros estacionados em locais proibidos, foram guinchados 3.314 veículos em Curitiba.

Durante os dias de semana, de acordo com a Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), são removidos em média 20 carros diariamente na capital. Já aos sábados e domingos, a média é de dez carros guinchados por dia.

A fiscalização tem sido prioritária nas ruas Brigadeiro Franco, Ângelo Sampaio, Coronel Dulcídio e Desembargador Motta no período das 17h às 20h. O objetivo, segundo o gestor de fiscalização de trânsito da Urbs, Adão José Lara, é dar fluidez e segurança ao trânsito nestas ruas e nos seus arredores, principalmente nos horários de pico.

Segundo Lara, a maior parte das remoções acontece em locais onde há sinalização de “Proibido Estacionar”. O gestor lembra que o Código Brasileiro de Trânsito prevê a remoção de veículos que estacionarem em esquinas, calçadas, em frente a guias rebaixadas, em fila dupla ou bloquearem a entrada e saída de outros veículos.

Lara lembra que outra infração em que o guincho é acionado se caracteriza quando o motorista estaciona em vagas destinadas a idosos ou deficientes físicos, para as quais a utilização é condicionada à credencial, que é expedida pela Urbs desde agosto do ano passado.

Após o veículo ser guinchado, para reavê-lo, é preciso que o proprietário pague a taxa de remoção e as diárias pelo tempo em que o veículo ficou retido. “Se constarem ainda débitos com multas, IPVA ou com o licenciamento, o motorista terá que quitá-los para poder retirar o veículo”, afirma Lara.

Segundo ele, as taxas de remoção variam de R$ 36,70 para motocicletas, R$ 86,47 para automóveis e R$ 185,93 para caminhões. Já as diárias variam conforme a tonelada do veículo, ficando entre R$ 14,76 para motos, R$ 15,46 para automóveis e podendo chegar a até R$ 55,09 para caminhões.

Além dos custos de remoção e da diária do veículo recolhido, o infrator ainda arca com a multa referente à infração. No caso de estacionar em vagas destinadas a idosos, por exemplo, além da perda de três pontos na carteira de habilitação, o infrator ainda paga multa de R$ 53,20. Já para quem estacionou em local proibido, que também perde quatro pontos na carteira, a multa é de R$ 85,13.