O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, defendeu na Convenção COP 10 da ONU, no Japão, o desenvolvimento de projetos de gestão ambiental vinculados às ações de inclusão social.

“São indissociáveis, faces de uma mesma moeda que se complementam no processo de sustentabilidade das cidades”, explicou Ducci durante a 10.ª Conferência das Partes na Convenção sobre Diversidade Biológica (COP-10), evento da Organização das Nações Unidas na cidade de Nagoya, onde paralelamente acontece a 5.ª Reunião das Partes do Protocolo de Cartagena (MOP- 5).

Ducci destacou que em Curitiba a construção de uma sociedade sustentável faz parte da cultura local. “Curitiba possui, há muitos anos, uma agenda ambiental que vai além dos programas específicos de meio ambiente, como o manejo de resíduos sólidos e a conservação de áreas naturais. Transporte público, planejamento urbano e questões sociais são agregados a conceitos de gestão ambiental”, afirmou o prefeito, que ontem ocupou o centro da mesa da Plenária 4 da COP 10, que reuniu prefeitos e governadores de diversas regiões do mundo.

Ao lado de Luciano Ducci, líderes de cidades como Montreal, Nagoya, Bonn e Cingapura participam do processo político de busca de espaço para os municípios nas COPs organizadas pela ONU.

“Curitiba deu início a esse movimento em 2006, para as cidades ganharem peso nos debates e na definição de políticas públicas relativas à biodiversidade. Estamos avançando, inclusive com a participação decisiva do governo brasileiro”, afirmou Ducci.

Na abertura do encontro de cidades da COP 10, que teve as presenças do prefeito de Nagoya, Takashi Kawamura, do governador da província japonesa de Aichi, Masaaki Kanda, o secretário-executivo da CBD (Convention on Biological Diversity) da ONU, Ahmed Djoghlaf, fez elogios a Curitiba e citou programas desenvolvidos pela cidade e o pioneirismo curitibano nas questões do meio-ambiente.