O Brasil já deu adeus ao título da Copa do Mundo, mas isso não significa que o curitibano deixou de assistir os jogos. Ontem, o duelo entre Argentina e Alemanha levou bastante gente para acompanhar a partida nos bares. No final, pior para nuestros hermanos que perderam para os alemães pelo placar de 4 a 0.

Antes da bola rolar, o pequeno grupo de argentinos que acompanhou o jogo na Cabana di Bella, em Campo Magro, Região Metropolitana de Curitiba, estava todo eufórico. Embora admitissem uma desconfiança inicial com a seleção, as boas exibições na Copa a credenciavam para chegar até a final. “Estamos muito confiantes de que seremos campeões. Gostaríamos de fazer a final contra o Brasil, mas infelizmente isso não foi possível”, revelou a supervisora do Centro Argentino no Paraná, Nelida Mateu. O proprietário do restaurante, Carlos Alberto di Bella, estava animado e puxou o tradicional canto “vamos, vamos Argentina, vamos, vamos a ganar”.

“Temos tudo para vencer hoje (ontem)”, revela. A torcida argentina contou ainda com uma torcedora inusitada: uma brasileira. “Tenho parentes que moram em Buenos Aires (capital da Argentina) e por isso estou torcendo por eles”, contou Laura Pereira.

Contudo, o gol alemão logo aos três minutos do primeiro tempo esfriou um pouco o ânimo argentino. “Acredito que iremos virar a partida no segundo tempo”, disse Marisa Waizer, vice-presidente do Centro Argentino do Paraná. Todavia, a virada não aconteceu e veio a catástrofe. Para Waizer, restou apenas se lamentar. “Reconheço que a Alemanha foi superior ao nosso time, mas não imaginava que seríamos goleados. Estamos tristes e agora só nos resta voltar para casa. Faltou sorte para gente hoje (ontem)”, afirmou.

Chope e alegria

Em Curitiba, no Bar do Alemão, o sentimento era da mais pura alegria. Entoando cânticos como “Deutschland vor, noch ein Tor!” (Avante Alemanha, mais um gol!), as quase mil pessoas presentes no tradicional ponto de encontro da torcida germânica se deliciavam com a goleada. “Disponibilizei 14 televisores de 42 polegadas e mais um telão para os clientes. O resultado é este daí. Festa alemã com jeitinho brasileiro. E já tem gente ligando para reservar um lugar para assistir a partida da semifinal, na próxima quarta-feira”, diz o proprietário do bar, Anderson Prado. O operador de produção e integrante do grupo folclórico Original Einigkeit Tansz Gruppe, Adriano Davet Malhadas, vibrava com o resultado. “Essa festa está maravilhosa e ganhar da Argentina é sempre muito bom. Hoje (ontem) a diversão não tem hora para acabar e meu fígado vai ter que trabalhar dobrado”, brinca.

O agricultor Rubens Kliewer, que veio do Mato Grosso para passear em Curitiba, afirma que a Alemanha será a campeã. “Os hermanos deram um tempero a mais para o nosso vindouro tetracampeonato. Mesmo sem o Cacau (jogador brasileiro naturalizado alemão), teve chocolate. Quarta que vem estarei aqui para ver a Alemanha despachar mais um adversário”, garante.