A prefeitura de Matinhos, no Litoral do Paraná, está exigindo desde terça-feira (15) a apresentação do Título de Eleitor no momento da aplicação da primeira dose da vacina de Covid-19. Isso porque a Secretaria Municipal de Saúde observou um grande número de pessoas de outras cidades, em especial Curitiba, que possui imóvel em Matinhos tentando se imunizar no município desde que foi liberada a aplicação para a população em geral por ordem de idade, fora dos grupos prioritários.

LEIA TAMBÉM

> Obras de recuperação da orla Matinhos: saiba a previsão para começar e terminar

> Levantamento mostra quantas pessoas devem ser vacinadas por faixa etária em Curitiba e no Paraná

Enquanto em Curitiba a vacinação por idade está em 53 anos nesta quarta-feira (16), Matinhos já estava vacinando o público com 35 anos terça-feira. Nesta quarta-feira (16),a cidade do litoral está aplicando apenas segunda dose e aguarda a entrega de mais vacinas para seguir a aplicação de primeira dose. “Essa medida foi tomada pela equipe epidemiológica para dar prioridade a quem mora no município. Por isso fizemos esse critério, para priorizar quem tem o domicílio eleitoral em Matinhos”, enfatiza o secretário municipal de Saúde de Matinhos, Paulo Henrique Oliveira.

O secretário estadual de Saúde, Beto Preto, afirmou que a apresentação do Título de Eleitor não pode ser um impeditivo para a vacinação não só em Matinhos, mas em nenhum município do Paraná. “O Título de Eleitor não pode ser um obstáculo para que o cidadão seja vacinado. Até porque estamos em campanha para vacinar toda a população”, ressaltou o secretário em entrevista ao jornal Bom dia Paraná, da RPC.

VIU ESSA? Voo direto entre Curitiba e Florianópolis entra em operação; veja datas e horários

Beto Preto afirma que vai solicitar à direção da 1ª Regional de Saúde do Estado, em Paranaguá, que oriente as sete prefeituras da área para que busquem uma solução para essa situação de moradores de outras cidades que estão buscando a vacinação em municípios do litoral. “Se o cidadão mora lá no litoral deve ter vínculo na unidade de saúde ou mesmo uma conta de luz, de água ou outro comprovante de residência em seu nome e isso deve bastar”, reforça o secretário estadual de Saúde.