Empresários, comerciantes e donos de hotéis e pousadas no litoral do Paraná temem ficar no prejuízo com a vinda da Copa do Mundo de 2014 para Curitiba. Além de pessimistas em relação ao número de turistas que o evento irá atrair para as praias do Estado, estão preocupados com a queda brusca de visitantes durante a temporada de verão, devido às alterações no calendário escolar.

Os jogos do campeonato mundial de futebol em Curitiba acontecerão entre 16 e 26 de junho, período em que as escolas entrarão em recesso. Para compensar, a expectativa é que o início das aulas em 2014 seja antecipado para meados de janeiro. A alteração ainda não foi confirmada pela Secretaria da Educação, que deve divulgar o novo calendário no final do mês que vem.

Estimativas

O presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo Sustentável do Litoral do Paraná (Adetur), Adalto Mendes Luders, diz que a possibilidade de temporada de verão reduzida está tirando o sono dos empresários litorâneos. “A temporada vai ficar muito curta, o que é terrível para nós. Durante a Copa, não vai haver aulas, mas será no inverno, época em que muita gente não pode viajar”, lamenta.

As estimativas oficiais apontam a vinda de até 500 mil turistas para Curitiba durante a Copa. Mas nem as expectativas mais otimistas animam Adalto, proprietário de posto de gasolina em Matinhos. “Mesmo que 10% deles venham para o litoral, ainda é pouca gente. De maneira alguma compensaria temporada de verão mais curta”, avalia.

Dono de um hotel em Guaratuba, o empresário Gustavo Socachewsky também não vê motivo para comemorar. “Por enquanto, a expectativa é quase zero. Ainda não recebemos nenhuma reserva e a promoção do litoral está muito pequena. Pode ser que tenha algum movimento, mas será bem pontual. Já as férias escolares mais curtas certamente vão prejudicar bastante”, acredita.

Secretário fala em precipitação

O secretário especial para assuntos da Copa do Mundo, Mário Celso Cunha, diz que os temores da Adetur são infundados. “Com certeza a Copa vai aquecer muito o turismo, em época de baixa temporada na região. O litoral é a porta de entrada marítima do Paraná e vai receber muitos navios com turistas”, afirma. Mário Celso diz que as reclamações sobre o calendário escolar são precipitadas. “Ainda não há nada definido. Eles estão antevendo situação que só será conhecida no final do ano”, diz. Ele ressalta que o litoral está incluído nos roteiros das agências de turismo, divulgado como destino para os visitantes que virão acompanhar a Copa.