A Prefeitura de Cascavel exonerou a enfermeira que furou fila na vacinação de covid-19. A demissão foi publicada no Diário Oficial do Município neste sábado (30).

“A decisão foi tomada por se tratar de um fato grave e que exige uma medida extrema”, enfatizou a prefeitura em nota. O Ministério Público do Paraná (MP-PR) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) também apuram o caso.

Além da exoneração da enfermeira, a prefeitura também afastou do trabalho a profissional de saúde que aplicou vacina. Uma sindicância apura se ela também agiu de má fé ou se foi enganada ao aplicar o imunizante fora da ordem na campanha emergencial.

+ Leia também: Médico suspeito de matar pacientes com covid-19 para liberar leitos é preso

Na terça-feira (26), a enfermeira, lotada na Secretaria Municipal de Esporte, foi ao Centro de Exposições de Cascavel, onde ocorre a vacinação na cidade, tentar tomar a primeira dose da vacina. Ao ser informada de que não poderia ser vacinada por não se enquadrar no público alvo da campanha emergencial, a mulher então disse que iria entrar em uma das cabines só para cumprimentar uma pessoa. Foi quando teve aplicada a dose.

De acordo com definição do Ministério da Saúde, a campanha emergencial é voltada somente para profissionais de saúde que atuam diretamente no atendimento de pacientes com coronavírus, idosos que vivem em asilos e seus cuidadores, além dos indígenas.

Como denunciar

No Paraná, denúncias de fura-filas podem ser feitas à Controladoria-Geral do Estado (CGE) pelos telefones 0800 041 1113 e (41) 3883-4014 – o segundo número também atende pelo WhatsApp. Pela internet, a denúncia pode ser feita ao site da CGE, na aba Ouvidoria. Se preferir usar e-mail, o denunciante deve enviar o material para ouvidoria@cge.pr.gov.br.