Engenheiros e arquitetos da Cohab fazem paralisação de 24 horas hoje pela equiparação salarial aos quadros de engenharia e arquitetura da prefeitura e autarquias municipais. Segundo as entidades de classe que representam as categorias, um engenheiro da Cohab ganha hoje 2/3 menos que os profissionais de igual função da administração municipal. Por isso, o pedido é de aumento de 50% nos salários de quem trabalha na Cohab.

A greve foi decidida em assembleia no dia 11 deste mês pelo Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná (Senge-PR) e Sindarq (Sindicato dos Arquitetos do Paraná). Se não houver avanço nas negociações, os profissionais voltarão a parar nos próximos dias 26 e 27, por 48 horas. Persistindo o impasse, haverá greve por tempo indeterminado a partir de 1.º de julho.

Segundo os sindicatos, a Cohab é a única companhia mista do município que não cumpre a aplicação do salário mínimo profissional de engenharia e arquitetura estabelecido por lei federal de 1996.