Dez empresas das 32 que compraram o edital de licitação para ampliação do aterro da Caximba, publicado em junho no Diário Oficial do município, apresentaram suas propostas ontem durante toda a manhã, na sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em Curitiba.

O aterro, localizado no bairro da Caximba (zona sul), é o principal destino do lixo produzido na cidade. Como sua vida útil está com os dias contados, devendo encerrar-se em outubro, a Prefeitura anunciou o início das obras de ampliação para breve.

Está prevista a desapropriação de uma área de 200 mil metros quadrados vizinha ao aterro, onde será o depósito de dejetos domésticos. A estimativa é de que a área possa ser utilizada pelos próximos quatro anos.

“Como a vida útil do aterro está terminando, temos urgência em vencer o processo burocrático de escolha da empresa que vai realizar a ampliação e cuidar da manutenção do aterro. Esperamos iniciar as obras o quanto antes”, diz a superintendente de controle ambiental da secretaria, Marilza Oliveira Dias.

Os projetos apresentados pelas empresas estão sendo analisados por uma comissão de licitação designada especialmente para a tarefa. O resultado das análises deve ser apresentado na próxima segunda-feira, às 14h. Caso haja contestação de alguma empresa, os responsáveis terão cinco dias úteis para recorrer. O fato, caso venha a ocorrer, pode atrasar o início das obras.

Nos últimos meses, a Câmara Municipal de Curitiba aprovou uma suplementação orçamentária de R$ 971 mil para que a Prefeitura desaproprie a área particular onde será feita a ampliação do aterro.