Uma parceria entre o governo do Estado e a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) permitirá oferecer, a partir de 2012, cursos profissionalizantes para 300 mil alunos do ensino fundamental e médio da rede pública de ensino.

As oficinas gratuitas serão realizadas nas escolas, durante o contraturno, ampliando a jornada escolar com aulas de empreendedorismo, sustentabilidade, cidadania e iniciação industrial.

O vice-governador Flávio Arns assinou nesta segunda-feira (21), no Palácio das Araucárias, um termo de cooperação técnica com a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep).

A entidade é parceira da iniciativa e ficará encarregada da metodologia, material e aplicação dos cursos. Em contrapartida, espera ampliar a oferta de mão de obra qualificada para as indústrias do Estado.

“Esta parceria irá melhorar o processo educativo e abrir para os alunos oportunidades de emprego e renda. Queremos que os nossos alunos tenham também uma boa orientação profissional”, disse Flávio Arns, que também é secretário da Educação. Ele explicou que a iniciativa será aplicada também à Educação de Jovens e Adultos (EJA) e a alunos com deficiências físicas e psicológicas.

Arns destacou que a profissionalização é um compromisso do governo estadual e citou quatro etapas que, segundo ele, são fundamentais para a inserção dos estudantes no mercado de trabalho: conclusão do ensino médio, qualificação profissional, oferta de estágios e ações no contraturno escolar. “A intenção do governo é garantir cidadania e qualificação”, afirmou.

CURSOS – A Fiep levará para as escolas cursos semelhantes aos que já ministra em empresas do Paraná, por meio dos programas Indústria Itinerante, Sesi Click, Educação de Jovens e Adultos/EJA, Arranjo Educativo Local/AEL, Contraturno, Inclusão/Libras, Objetivos do Milênio/ODM, Egressos, Políticas Públicas, Portal Planeta SESI, Ensino a Distância/EAD, Formação Continuada, Educação Básica e Educação Profissional/EBEP – Técnicos e EBEP – Qualificação Profissional.

O presidente da Fiep, Edson Campagnolo, explica que o processo de qualificação será realizado por meio do Serviço Social da Indústria (Sesi) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Ele lembra que o Brasil tem uma grande carência de mão de obra qualificada, principalmente na indústria, e que a profissionalização no período escolar é fundamental.

“Essa é uma oportunidade para que os estudantes conheçam como é o trabalho no setor industrial”, disse o presidente, destacando que o setor gera cerca de 800 mil empregos diretos no Paraná.

Ele destacou que o governo estadual é um grande parceiro da Fiep e que diversas ações estão sendo realizados em conjunto nas áreas da indústria, educação e trabalho e emprego.