Cansado de presenciar tantos acidentes, violência e mortes no trânsito brasileiro, o especialista em trânsito de Curitiba, Francisco João Anacleto, autor da obra Manual de Trânsito Ilustrado, resolveu descruzar os braços. No último mês de outubro, ele enviou uma carta aberta ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, questionando o não-cumprimento do artigo 76 do Código de Trânsito Brasileiro.

“Esse artigo determina a promoção da educação para o trânsito na pré-escola e nas escolas do ensino fundamental ao superior, o que não vem acontecendo de forma intensiva na maioria das instituições brasileiras”, afirma. “Diante dessa constatação, resolvi fazer valer o artigo 72 do mesmo código, que diz que todo cidadão ou entidade tem direito de exigir o cumprimento do que é determinado”.

Cerca de quinze dias após enviar a carta, o especialista recebeu uma resposta do presidente. Na correspondência, Lula confirmou o recebimento da carta e informou que o assunto tratado estaria sendo encaminhado à Comissão de Viação e Transportes. “Educação do trânsito é um assunto de extrema importância. Ela é a base para que os índices de acidentes e mortes diminuam”, diz.

Segundo Francisco, o Denatran, os Detrans, os Diretrans e as secretarias estaduais e municipais de Educação têm promovido campanhas educativas temporárias e que não estão surtindo o efeito desejado. “As campanhas geralmente abordam coisas mínimas e pouco abrangentes. Se um trabalho intenso e correto estivesse sendo realizado desde o início da implantação do novo código de trânsito, em 1997, muito efeito já teria sido surtido”, declara.