O governo do Paraná assinou ontem o protocolo que formaliza a compra de 500 mil doses de vacina contra a dengue. Os imunizantes vão ser aplicados durante a 1ª campanha pública de imunização contra a doença nas Américas, que começa no dia 13 de agosto. Inicialmente, 30 municípios do Estado receberão as doses. Curitiba ficou de fora.

A escolha dos municípios foi baseada nos dados da dengue no Paraná. Por isso, apenas os locais mais afetados serão integrados nesta primeira campanha. Em 28 municípios, a faixa etária dos vacinados será entre 15 e 27 anos – uma faixa menor do que a indicada pelos fabricantes da vacina, que é de 9 a 45 anos.

O Paraná confirmou 55.640 casos de dengue desde agosto de 2015 e 61 mortes causadas pela doença em 2016. Oitenta e nove dos 399 municípios estão com epidemia. Só Paranaguá tem 15.779 ocorrências e 29 óbitos. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), apenas Paranaguá e Assaí, onde os casos de dengue têm incidência superior a 8 mil casos por 100 mil habitantes, é que o imunizante contemplará uma faixa etária maior, de 9 a 44 anos. O governo quer atingir a meta da vacinação até 31 de agosto.

Além de Paranaguá e Assaí, as outras 28 cidades incluídas na campanha são: Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Boa Vista da Aparecida, Tapira, Santa Izabel do Ivaí, Cruzeiro do Sul, Santa Fé, Munhoz de Melo, Marialva, Paiçandu, São Jorge do Ivaí, Maringá, Mandaguari, Sarandi, Iguaraçu, Ibiporã, Jataizinho, Porecatu, Bela Vista do Paraíso, Cambé, Londrina, Sertanópolis, Leópolis, São Sebastião da Amoreia, Itambaracá, Cambará e Maripá.

Eficácia

O Estado investiu R$ 50 milhões na compra de 500 mil vacinas do laboratório Sanofi Pasteur. A medicação é considerada eficaz na prevenção dos quatro tipos de dengue. Estudos clínicos demonstraram que a vacina foi capaz de reduzir em 60,8% o número de casos na América Latina e Caribe e que a partir dos 9 anos de idade a dose protege 66% das pessoas.