Ongs que atuam na área realizam encontro
na capital.

O Paraná vai receber do Ministério da Saúde (MS) R$ 5.075.823,00 para o enfrentamento da aids nos próximos 12 meses. Desse total, R$ 1.433.210,00 vão ser repassados ao Estado e R$ 3.642.613,00 diretamente a 26 cidades. A forma como o repasse será fiscalizado foi um dos pontos discutidos ontem no IX Encontro Regional de Ong?Aids em Curitiba. O encontro começou ontem e vai até amanhã.

Os estados do Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) estão reunidos para discutir a melhor forma de fiscalizar a aplicação do dinheiro repassado pelo governo federal. Antes, havia muita burocracia para a utilização dos recursos já que a verba chegava ao seu destino através de convênios. Agora, o montante vai diretamente para os fundos municipais e estaduais, facilitando sua fiscalização. Segundo o coordenador do Fórum Estadual, Toni Reis, o dinheiro é considerável se comparado com o gasto com outras doenças, mas ainda insuficiente para resolver o problema.

O Paraná já decidiu como vai aplicar a verba. Na última quinta-feira, o Conselho Estadual de Saúde aprovou um plano de ações e metas. Uma parte será aplicada em ações educativas de prevenção e proteção. Outra ao diagnóstico, tratamento e assistência a gestantes com HIV positivo e às crianças exposta ao HIV. Já o restante será usado no gerenciamento de projetos e treinamento de recursos humanos.

As Ongs (organizações não-governamentais) também vão receber recursos para desenvolver suas atividades, R$ 563.980, 40. No Brasil, há 500 organizações e no Paraná, 45. Em Curitiba, o Grupo dignidade trabalha com 22 escolas capacitando professores e prestando assessoramento.