O governador Roberto Requião decretou ontem estado de emergência na região Sudoeste e determinou a formação de uma força-tarefa para realizar obras com objetivo de amenizar os efeitos da seca. ?As máquinas do DER e a estrutura da Codapar serão direcionadas para o aprofundamento de poços, limpeza de córregos e abertura de tanques para amenizar os problemas gerados pela estiagem?, explicou o governador.

A decretação do estado emergencial vai, na prática, facilitar o trâmite de pedidos de ajuda dos municípios ao governo federal. Segundo a vice-presidente da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop) e prefeita de Pranchita, Iva Magnani , os municípios mais atingidos são aqueles da região de fronteira. ?A região toda sofreu com a estiagem, mas os municípios com situação mais dramática são Francisco Beltrão, Barracão e Pranchita?, afirmou.

Para o prefeito de Francisco Beltrão, Vilmar Cordasso, a sugestão de formação de força-tarefa pelo governador supera a expectativa que o grupo tinha sobre o encontro. ?Esperávamos apenas a decretação do estado de emergência e saímos daqui com ações já definidas?, destacou. A vice-presidente da Amsop informou ainda que a forma como o DER, Codapar e a Superintendência de Recursos Hídricos (Suderhsa) atuarão será definida em visita aos órgãos na próxima quinta-feira.

Lula

Segundo o secretário- chefe da Casa Civil, Caíto Quintana, estava sendo ajustado ontem, em Brasília, a definição da visita do presidente Luíz Inácio Lula da Silva ao Paraná. ?Estamos aguardando a data exata da sua visita?, esclareceu Caíto.

?O governo federal, juntamente com o Estado, vai ajudar nossos agricultores dando assistência e apoio. Sabemos do sério problema que ocorre e da perda da safra. O Paraná não pode mais sofrer com esta questão sem ter a ajuda da União?, disse, contando que o presidente quer ver de perto o que está acontecendo. ?Técnicos da Secretaria de Agricultura estão trabalhando nas regiões atingidas. Temos levantamentos dos prejuízos e vamos trabalhar para ajudar.?