Os atendimentos realizados em uma garagem do Hospital Evangélico podem estar com os dias contados. Ao menos, essa é a intenção do ‘ultimato’ recebido pela instituição, que tem até novembro para encontrar um novo local para realizar os atendimentos ambulatoriais. O prazo foi estabelecido pela prefeitura de Curitiba após conversa com a administração do hospital, que apresentou um novo espaço, em Santa Felicidade.

De acordo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde, caso a mudança não aconteça no prazo estipulado, o Evangélico estará sujeito às sanções da Vigilância Sanitária. O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Curitiba e Região (Sindesc) também sinalizou que pode intervir pedindo a greve dos funcionários, caso a mudança no local de atendimento não ocorra.

O hospital chegou a pedir à Vigilância, em meados deste ano, autorização para atuar no espaço improvisado. No final de julho, a instituição solicitou um prazo de 150 dias para adaptar o subsolo ao atendimento, no entanto, o pedido foi negado. A partir dessa decisão, o Evangélico, em agosto, pediu 90 dias para que seja encontrado um lugar adequado para alocar o ambulatório. Segundo a Secretaria de Saúde, o prazo encerra na primeira semana de novembro.

Salários atrasados

Além dos problemas enfrentados pelo pacientes, que precisam ser atendidos de forma improvisada, os funcionários do Hospital Evangélico também passam por maus bocados. Em uma nota à imprensa, o Sindesc afirmou que muitos empregados estão com os salários atrasados e, caso a pendência não seja acertada, uma paralisação poderá acontecer na próxima segunda-feira (15).

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook