Cem funcionários do terceiro turno na Electrolux, localizada em Curitiba, foram mandados embora da fábrica na noite desta terça-feira (31). Até o final de abril, devem ser realizadas 200 demissões, já contando com os 100 desligamentos feitos ontem. No total, isso representa em torno de 5% do montante de trabalhadores da empresa.

A causa das demissões é justificada pela crise econômica que assola o Brasil e força uma diminuição das demandas pelos produtos do setor, o que leva a medidas de adaptação, conforme explica o Sindicato dos Trabalhadores Eletro Eletrônicos (Seletroar).

Em entrevista ao Paraná Online, o sindicato afirmou que, apesar de as demissões serem inevitáveis, as negociações feitas entre o Seletroar e a Electrolux garantiram a manutenção de alguns benefícios aos funcionários desligados. Durante os próximos dois meses, eles ainda se mantêm recebendo assistência médica e vale alimentação.

Em nota oficial, a Electrolux do Brasil informou que, “conforme acordado com o Sindicato do setor, adotou medidas para readequar a produção em relação à demanda do mercado”.

As expectativas são de que, depois desses 200 desligamentos, não sejam efetuadas novas demissões ao longo de 2015.