Aproximadamente 935 agricultores de assentamentos rurais no sul do Estado podem perder o apoio técnico que recebem para realizar um programa de extensão rural devido à falta de repasse de verbas federais. O projeto de extensão agroflorestal realizado por produtores familiares dos municípios de Bituruna, Palmas, Paulo Frontim e Paula Freitas foi implantado em 2004 e é desenvolvido pelas prefeituras através da ONG Instituto Ecoplan, que recebe financiamento do Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA). O objetivo do projeto é fazer com que pequenos e médios agricultores melhorem sua renda e qualidade de vida, por meio de sistemas florestais.

Segundo Wílson Aracen, vice-presidente da ONG, o FNMA deveria repassar anualmente os valores para a implantação do projeto. ?Ano passado, o dinheiro que era para vir em fevereiro só chegou em dezembro. Tocamos em frente com o que tínhamos em caixa, mas este ano ainda não recebemos nenhum repasse. Se o dinheiro não chegar até o fim de junho, não temos como continuar?, revela.

Para José Antônio Bueno, diretor do Departamento de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura de Palmas, o fim do programa terá um impacto negativo na economia das famílias de assentados da região. ?O município é um pólo madeireiro importante e por isso apostamos na diversificação da produção através da silvicultura para que estes agricultores tenham uma poupança futura. Mas se cortarmos o apoio, o esforço vai por água abaixo?, diz.

Ele ressalta ainda que o projeto é de extrema importância, pois tem atendido um público que não possuía nenhuma afinidade com o setor e, que agora, já estão trabalhando em parcerias com as empresas da região.

O FNMA, através de uma nota, afirma que desde a assinatura do convênio com o Instituto Ecoplan, em 2003, repassou mais de R$ 678 mil para o desenvolvimento do projeto de extensão agroflorestal nestes municípios. A parcela restante, que deveria ter sido paga no início do ano, no valor de pouco mais de R$ 121 mil, aguardava apenas a liberação dos limites orçamentários do Ministério do Meio Ambiente para o FNMA. ?Os limites foram repassados pelo MMA no último dia 12 de junho. Com base na liberação, o FNMA está reelaborando seu planejamento orçamentário para o repasse dos recursos a todas as instituições com quem mantém convênios?, afirma a nota.